Notícias

Voltar

Programe-se: mostras imperdíveis em SP

Os paulistanos podem começar a se programar para aproveitar as melhores opções de exposições abertas ao público durante o último final de semana de outubro. Nos próximos dias em São Paulo algumas galerias inauguram exposições, mas o público deve ficar atento às excelentes mostras que encerram ainda no final de semana! Aproveite o final de semana (27 e 28/10) para visitar as melhores exposições e ficar por dentro do circuito de artes visuais da cidade.

Na sexta-feira (26), o IMS Paulista recebe a última apresentação da performance "Aos Vivos", de Nuno Ramos. A apresentação aconteceria simultaneamente ao último debate presidencial, cancelado pela Rede Globo, mas sofre apenas algumas adaptações no roteiro para encerrar o ciclo de três apresentações simultâneas aos debates. Confira aqui a análise da primeira apresentação da série.

Para conferir as aberturas que aconteceram na semana passada, clique aqui; para ver as mostras em destaque em outras semanas, clique aqui e aqui.

A seguir, a seleção do InfoArtSP com as principais exposições para o final de semana. Programe-se!

ABERTURAS
REGINA VATER
ARTISTA: REGINA VATER
DE 27/10 A 19/1
GALERIA JAQUELINE MARTINS

A mostra apresenta cerca de 50 obras da artista intermídia - entre fotografias, vídeos e instalações fundamentais da trajetória da artista - que evidenciam a sua incontestável atitude pioneira ao explorar as relações entre sociedade, natureza e tecnologia. Ao longo da pesquisa da artista sempre estiveram presentes exercícios sobre temas abrangentes, como o tempo, e sua relação com mitos indígenas, e também questões urgentes e pontuais vistas através da lente do feminismo e a posição social da mulher - levando com que toda a obra de Vater se localize em um espaço fronteiriço entre a ação política e a criação artística. Saiba mais.

Regina Vater, Tina América, 1976. Fotografia, 31 x 65 cm. Foto: Divulgação.

ÁGUA DA PALAVRA/ QUANDO MAIS DENTRO AFLORA
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: GALCIANI NEVES
DE 27/10 A 2/2
ADELINA - INSTITUTO CULTURAL

A exposição, que propõe diálogos entre as artes visuais e a palavra como matéria-prima, foi apresentada pela primeira vez no HilbertRaum, em Berlim e, para a remontagem em São Paulo, a curadora Galciani Neves reúne dez artistas que buscam inspiração nas obras e universos dos seguintes autores: Ana Cristina Cesar, Clarice Lispector, Guilhermina Cavalcanti Bulcão (Miná), Hilda Hilst, Paulo Leminski e João Guimarães Rosa. “A palavra foi nossa matéria-prima, mas ela está presente em todo o processo da exposição até a sua materialização em obra de arte”, diz Neves. Saiba mais.

A mostra permanece em cartaz até fevereiro de 2019. Foto: Divulgação.

EM CARTAZ
COLEÇÕES EM DIÁLOGO: MUSEU HISTÓRICO NACIONAL E PINACOTECA DE SÃO PAULO
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: VALÉRIA PICCOLI, PEDRO NERY E PAULO KNAUSS
ATÉ 28/1
PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO

A mostra coletiva exibe uma seleção de pinturas, esculturas e desenhos — inéditos ou pouco vistos pelo público geral — dos dois museus como parte do programa desenvolvido pela Pinacoteca, que propõe criar novas interpretações sobre as coleções das instituições, ao contrapor obras de seus acervos. Para os curadores, o ineditismo da mostra concentra-se mais em identificar recortes de gêneros pouco conhecidos da pintura e na relação dos conjuntos apresentados que nas peças individuais. Da coleção do Museu Histórico Nacional poderão ser vistas obras de Leandro Joaquim (1738-1798), Manoel de Araújo Porto-Alegre (1806-1879) e João Baptista da Costa (1865-1926), entre outros. Destacam-se, também, obras de Johann Moritz Rugendas (1802-1858), um dos mais importantes artistas viajantes que estiveram no Brasil ao longo do século XIX. Deste último, além de um conjunto de desenhos, integra a mostra uma rara pintura, a tela Descobrimento da América (1820). Saiba mais.

Johann Moritz Rugendas, Descobrimento da América, 1820. Imagem: Divulgação.

NOVA FOTOGRAFIA 2018: BAMBAS
ARTISTAS: HUDSON RODRIGUES
ATÉ 9/12
MIS - MUSEU DA IMAGEM E DO SOM

A quinta mostra do programa "Nova Fotografia 2018" apresenta a série fotográfica "Bambas", de Hudson Rodrigues. Nela, o artista aborda a representação do negro no Brasil através de imagens que retratam seu cotidiano, seus amigos e parentes, e a relação deles com a metrópole paulistana. As fotos foram feitas de forma direta, já que Hudson sempre esteve inserido em todas as cenas, afinal é um destes "bambas". Saiba mais.

A mostra permanece em cartaz até dezembro de 2018. Foto: Hudson Rodrigues / Divulgação.

BAUHAUS IMAGINISTA: APRENDIZADOS RECÍPROCOS
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: MARION VON OSTEN E GRANT WATSON
ATÉ 6/1
SESC POMPEIA

A mostra se inspira no centenário da Bauhaus, fundada em 1919 na Alemanha - e fechada pelo regime nazista 14 anos depois -, para analisar a recepção internacional da inovadora escola de design, artes e arquitetura no contexto geopolítico, assim como seu alcance e influência a partir de diversas escolas e universidades para além da Europa. Internacional e itinerante, no Brasil, a mostra explora o papel desempenhado pela apropriação cultural, tanto no período da Bauhaus como no seu legado posterior, e investiga as relações entre arte e o artesanato populares e pré-coloniais com professores e estudantes emigrados da instituição em cerca de 300 trabalhos expostos - tendo como ponto central a influência da escola alemã nas ações da arquiteta brasileira Lina Bo Bardi. Saiba mais.

Fotografia (detalhe) do arquivo de Hannes Meyer, do período em que esteve na União Soviética, sem data. © Hannes-Meyer-Archiv, DAM.

AI WEIWEI RAIZ
ARTISTA: AI WEIWEI
CURADORIA: MARCELLO DANTAS
ATÉ 20/1
OCA - PARQUE DO IBIRAPUERA

A Oca, prédio de Oscar Niemeyer no Parque Ibirapuera, recebe a primeira mostra do artista plástico Ai Weiwei no Brasil - e também a maior exposição individual já realizada pelo artista. A mostra apresenta a história deste brilhante artista - que teve sua primeira exposição aos 41 anos de idade - por meio de seus mais icônicos trabalhos, além de obras inéditas, criadas da imersão profunda do chinês pelo Brasil, suas culturas e tradições. Temas caros ao artista, como a crise mundial de imigração - que rendeu, além de obras, um documentário produzido por Weiwei -, estão presentes em inúmeras obras que ocupam a Oca até janeiro. Saiba mais.

Instalação Sunflower Seeds na Oca Ibirapuera. Foto: Tauã Miranda / InfoArtSP.

AFETOS
ARTISTAS: EDGAR ROCHA
CURADORIA: PAULA PORTA
ATÉ 31/12
MUSEU AFRO BRASIL

”O trabalho de Edgar Rocha traz duas características muito marcantes: a luz âmbar, morna, que nos aproxima da imagem capturada. E um fascínio pelos saberes, pelas tradições e pelo jeito de ser dos negros do Maranhão, que registra de maneira intimista e verdadeiramente amorosa”, destaca a curadora. Estabelecido no Maranhão há mais de 40 anos, Edgar Rocha apresenta na mostra 41 fotografias que passeiam por temas como o patrimônio cultural, os navegantes e as celebrações do povo maranhense. Saiba mais.

Desterro, São Luís, 2015. Foto: Edgar Rocha / Divulgação.

ÚLTIMOS DIAS
4ª BIENAL INTERNACIONAL DO GRAFFITE FINE ART
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: BINHO RIBEIRO
ATÉ 28/10
MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA

Inúmeros murais, telas, esculturas e instalações integram a quarta edição da bienal, que neste ano reúne diferentes estilos e técnicas a partir dos trabalhos de mais de 80 artistas brasileiros e internacionais que participam da mostra. Serão 40 artistas inéditos da cidade de São Paulo, 20 representantes de outros estados e cerca de 10 grandes nomes internacionais. Metade dos artistas convidados produzem sua arte em São Paulo e estão participando da exposição pela primeira vez - uma excelente oportunidade para conhecer os traços dos artistas e depois identificá-los ao andar pelas ruas da cidade. Saiba mais.

Cerca de 80 artistas apresentam obras na bienal. Foto: Divulgação.

GERMAN LORCA: MOSAICO DO TEMPO, 70 ANOS DE FOTOGRAFIA
ARTISTAS: GERMAN LORCA
CURADORIA: RUBENS FERNANDES JUNIOR
ATÉ 4/11
ITAÚ CULTURAL

A mostra exibe mais de 150 imagens, além de séries e ensaios fotográficos, projeções, objetos e premiações de German Lorca. O fotógrafo, que hoje tem 96 anos e conta sete décadas de carreira profissional, continua clicando tudo o que lhe desperta o olhar, como a paisagem urbana de São Paulo, que registrou por mais de meio século. Assim, a linha curatorial organiza esta retrospectiva de modo a condensar a larga e rica vivência de Lorca. Para os curadores da exposição, suas fotografias expressam de modo exemplar toda a experiência do período modernista e chegam aos dias de hoje com o mesmo frescor que o aproximam de algumas manifestações e de alguns procedimentos da arte contemporânea. Saiba mais.

Oca Ibirapuera, 1954. Foto: German Lorca / Divulgação Itaú Cultural.

⦿
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: CATARINA DUNCAN
ATÉ 3/11
GALERIA LEME

Direcionada por uma pesquisa em torno do uso de símbolos como ferramentas de linguagem, a mostra apresenta obras de quinze artistas para construir um campo imaginário onde símbolos se sobrepõem à palavra escrita para comunicar tanto questões políticas quanto as relações entre o ser humano, o oculto e o desconhecido. Dessa forma, toda a expografia foi pensada a partir da ideia de uma relação entre dois mundos, físico e espiritual, tendo como referência duas obras: Ovo Bomba (2018), do artista Cabelo, e Corpo Celeste (2018), da artista Aline Motta. Saiba mais.

Cabelo, Ovo Bomba, 2018. Foto: Divulgação.

Para saber mais sobre essas e outras exposições em cartaz na capital paulista, confira a agenda do InfoArtSP.