Notícias

Voltar

O que faz da pintura de David Hockney tão especial a ponto de o tornar o artista vivo mais caro do mundo?

por bigorna.art.br 

Retrato de um artista (piscina com duas figuras) é o nome do quadro assinado por David Hockney que, na última semana, se tornou o artista vivo mais caro do mundo, depois de tê-lo vendido por 90 milhões de dólares no leilão da Christie’s. Foram 10 minutos de batalha entre dois compradores anônimos (eles falam com um representante presente na casa de leilão pelo telefone), até que se batesse o martelo. E o que torna a pintura tãão incrível assim para que se invista o dinheiro e leve, segundo a casa de leilão, o título de “obra-prima da era moderna”?

"Portrait of an Artist (Pool with two figures)", de David Hockney

QUERIA EU ESTAR NAQUELE CENÁRIO
O título da pintura é bem literal: há uma piscina e duas figuras, uma das quais está dentro d’água e outra fora. Repare: não é nada fácil pintar a água translúcida e uma pessoa ali dentro. Hockney (@david_hockney) precisou testar várias vezes até chegar na alquimia certa para sua tinta acrílica. Além disso, os dois personagens integram uma composição muitíssimo bem pensada, o que torna tão agradável admirar a pintura: para a fazer, Hockney quadriculou a tela em branco e pensou exatamente onde cada elemento deveria estar. Outra coisa é a ambientação: as cores pastéis passam a impressão de uma tarde agradável, pouco quente e num cenário dos sonhos (ele se inspirou nas suas próprias fotografias tiradas em viagem ao sul da França). É a paisagem perfeita.

BELEZA AMERICANA
Se Hockney é um dos ícones da pop art, ele só ganha o título por conta não da referência que faz à indústria, mas às pinturas da história da arte. Ele estudou do barroco ao cubismo e é obcecado por quadros de mestres clássicos. Nas suas obras, consegue trazer a composição desses quadros emblemáticos (a construção formal das chamadas “obras-primas” tem a ver com a fácil e agradável assimilação da imagem por qualquer pessoa) aos tempos atuais. Também apresenta elementos típicos de filmes melodramáticos americanos: casas afastadas da cidade com grandes jardins, famílias aparentemente perfeitas, drinks na piscina, cachorro... O que torna as suas cenas curiosas é que, diferentemente de outros nomes da arte pop, ele prefere cenas íntimas às temáticas mundanas.

Continue lendo a matéria no site do Bigorna.