Notícias

Voltar

MASP e centro britânico de estudos promovem seminário sobre arte e descolonização

Parte de uma parceria de longo prazo, MASP e Afterall (centro de pesquisa da Universidade de Artes de Londres) se uniram para discutir criticamente ideias de descolonização em relação à história da arte e aos museus. O evento é gratuito.

Rosina Becker do Valle, Índio da floresta (Caboclo), 1963. Obra exposta na mostra "Histórias afro-atlânticas". Foto: Divulgação.

"Arte e descolonização", seminário gratuito que ocorre nos dias 18 e 19 de outubro (quinta e sexta-feira), no MASP, é o primeiro evento de um projeto de longo prazo realizado em conjunto entre o museu paulistano e o Afterall, centro de pesquisa da Universidade de Artes de Londres, estabelecendo assim uma parceria inédita entre as duas instituições. O evento é gratuito e os ingressos deverão ser retirados com duas horas de antecedência na bilheteria do museu. 

Realizado de manhã e de tarde durante os dois dias, o seminário será um fórum para que teóricos da cultura, curadores e artistas da América do Sul, África, Estados Unidos e Europa levantem questões e propostas para a reinterpretação de exposições e coleções dos museus, a partir de leituras que desafiem as narrativas tradicionais da arte fora do eixo europeu. Será abordado também o surgimento de novas práticas artísticas e curatoriais que, explicitamente, questionam os legados coloniais na arte, na curadoria e na escrita crítica sobre arte. 

O evento contará com a participação de: Bambi Ceuppens (Royal Museum for Central Africa, Bélgica), Candice Hopkins (Curadora, Canadá), Elizabeth A. Povinelli (Columbia University, EUA), Estefanía Peñafiel Loaiza (Artista, Equador/França), Esther Gabara (Duke University, EUA), Julieta González (Museo Jumex, México), Lewis R. Gordon (University of Connecticut, EUA), Luciana Ballestrin (Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil), Nelson Maldonado-Torres (Rutgers University, EUA), Rolando Vázquez (University College Roosevelt, Holanda), Shela Sheikh (Goldsmiths, Inglaterra), Sheena Wagstaff (Metropolitan Museum of Art, EUA), Suely Rolnik (PUC-SP, Brasil) e Yaiza Hernández Velázquez (Central Saint Martins, Inglaterra). O seminário terá tradução simultânea. Confira a programação completa a seguir:

Quinta-feira, 18 de outubro
10h-10h30
- Introdução;

10h30-12h30 - Rolando Vázquez: "O fim do contemporâneo, a decolonialidade e a tarefa da escuta";
Luciana Ballestrin: "Do pós-colonialismo à pós-democracia? Os limites da democracia liberal na América Latina e o desafio do giro decolonial";
Nelson Maldonado-Torres: "Colonialidade visual e o caldeirão do tempo e do espaço moderno/colonial: notas sobre a colonialidade do ser e a estética decolonial";

14h-16h - Julieta González: "Memórias do subdesenvolvimento, da arte e do giro decolonial na América Latina 1960-1985";
Yaiza Hernández Velázquez: "Pode um museu nos libertar?";
Sheena Wagstaff: "Miscelânea enciclopédica";

Conferência;
16h30-17h30 - Lewis R. Gordon: "Descolonizando a estética negra".

Sexta-feira, 19 de outubro
10h30-12h30 - Shela Sheikh: "'Aquilo que não podemos não querer': racismo ambiental, testemunho mais-que-humano e paradoxos da representação";
Estefanía Peñafiel Loaiza: "Diálogos: da apropriação à regurgitação";
Elizabeth A. Povinelli: "Superfícies estraçalhadas, imagens insistentes";

14h-16h - Candice Hopkins: "Rumo a uma prática decolonial de escuta";
Esther Gabara: "Arte como ficção: conceitos ameríndios para a teoria visual";
Suely Rolnik: "Descolonizar a pulsão criadora";

Conferência;
16h30-17h30 - Bambi Ceuppens: "Descolonizando um monumento colonial".

Sobre a parceria MASP & Afterall
A parceria de expansão de conhecimento entre as duas instituições é a primeira do tipo no hemisfério sul. O Exchange Programme do British Council foi projetado para construir conexões entre museus, instituições culturais e universidades criativas no Brasil e no Reino Unido.

Além do seminário, o projeto de pesquisa inclui também publicações de artigos acadêmicos sobre o tema entre 2018 e 2019, que serão publicados nos sites do MASP e Afterall e depois reunidos em uma antologia a ser publicada em 2020, contemplando ainda outros textos que já são referência a respeito de arte e descolonização.

Com apoio do British Council, o MASP publicará, em 2019, uma reedição traduzida do livro Art and Social Chance [Arte e mudança social], lançado pelo Afterall há dez anos e hoje esgotado.

O Afterall, fundado em 1998, é um centro de pesquisa e publicação dedicado à arte contemporânea e à história das exposições da Universidade de Artes de Londres (University of the Arts London). Trabalha em colaboração com parceiros internacionais por toda a Europa, América do Norte e Ásia.

Tal projeto conversa com a visão curatorial do MASP de apresentar diferentes perspectivas da história da arte que desafiem as convenções e questões visuais das narrativas centradas na Europa. Em 2015, o museu inaugurou um ciclo de exposições que visam ir além da interpretação canônica da arte, desenvolvendo uma abordagem que contesta fronteiras, cronologias, tipologias e hierarquias entre objetos. As exposições se concentram em uma curadoria que enfatiza histórias, vozes e imagens de grupos que têm sido historicamente reprimidos ou marginalizados. Neste ano, a programação é inteiramente dedicada às histórias afro-atlânticas.

Serviço
Seminário "Arte e Descolonização".
Data: 18/10, quinta-feira, das 10h às17h30, e 19/10, sexta-feira, das 10h30 às 17h30.
Local: MASP (Auditório - primeiro subsolo) | Av. Paulista, 1578 -Bela Vista, São Paulo.
Ingressos gratuitos; retirada duas horas antes do evento. Para mais informações, acesse afterall.org e masp.org.br.