Notícias

Voltar

Feira Parte reúne jovens artistas contemporâneos, coletivos e galerias em SP

A Parte é a primeira feira no Brasil dedicada à arte contemporânea, com foco em novos talentos. Sua 10ª edição acontece entre os dias 7 e 11 de novembro, no Clube A Hebraica, em São Paulo. 

Foto Beijing 2016, do artista Pico Garcez, integrante do Coletivo Rifa - Foto: Pico Garcez / Divulgação.

Mais de 40 galerias de arte e coletivos de artistas se reúnem no Clube A Hebraica, em São Paulo, entre os dias 7 e 11 de novembro de 2018 (de quarta a domingo), durante a "10ª Feira Parte", dedicada a apresentar trabalhos de jovens artistas contemporâneos - no total, são cerca de 400 artistas nacionais e internacionais - e fomentar o mercado primário de obras de arte, com trabalhos sendo vendidos a partir de R$500,00. Este ano a feira mantém a tradição que a diferencia, como um espaço para novos talentos, mas também abre os olhos para grandes artistas, brasileiros e internacionais. Os ingressos para a feira custam R$20,00 e a proposta curatorial inclui também atividades infantis e debates sobre arte e filosofia.

Mantendo a ideia de descentralizar o mercado de arte, das 45 galerias participantes da atual edição, 18 são de fora do eixo Rio-São Paulo, com representantes de cidades como Belo Horizonte, Curitiba, Salvador e Buenos Aires. Essa é uma oportunidade de conhecer artistas nacionais que não conseguem tanta visibilidade no cenário nacional, muitas vezes por estarem distantes dos principais mercados de arte do país.

Gidi Gilam, Birth of an Artist. Obra exposta pela SOMA Galeria, de Curitiba. Foto: Divulgação / Parte

Criada e dirigida por Tamara Perlman e Carmen Schivartche, a Parte tem como uma de suas missões desmistificar a questão do preço das obras, provando que se pode iniciar uma coleção com valores bem abaixo do imaginado pelo público em geral - o que pode ser confirmado nas etiquetas de cada uma das obras, que, seguindo a regra da feira, devem apresentar o nome do artista, a técnica utilizada e o valor da obra. Dessa forma a feira atrai diferentes tipos de compradores, desde os que já se iniciaram no colecionismo até os que procuram artistas de sua geração para iniciar uma coleção.

Apesar de procurar "fugir" um pouco do circuito paulistano, as galerias da cidade ainda são maioria: 27 ao todo. As galerias Casa Triângulo, Emmathomas, Zipper, Millan e Luisa Strina são algumas das participantes da atual edição. Além dos tradicionais espaços das galerias, grupos de artistas independentes começaram a se organizar em coletivos com o intuito de desengessar as práticas do mercado de arte. Na feira, esses grupos se encontram na seção "Coletivos" - entre eles estão os coletivos Rifa, Aluga-seAteliê Alê, Grupo Pigmento e Casa Nubam. Completando a feira, a seção "Solos" exibe um conjunto de trabalhos de artistas representados por algumas galerias; por exemplo, a galeria Luisa Strina exibe trabalhos de Laura Belém, a Casa Triângulo, por sua vez, apresenta a produção de Ivan Grilo.

Por fim, a feira ainda abre espaço para nomes já consagrados, numa seção com galerias de mercado secundário, aquele que comercializa obras que já estão em circulação. No setor o público poderá encontrar obras de artistas como Cândido Portinari, Emiliano Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral.

Camila Soato, Resistência I, 2017. Óleo sobre tela, 50 x 100 cm. Obra exposta pela Zipper Galeria, de São Paulo. Foto: Zipper Galeria / Divulgação.

Serviço
Feira Parte 2018
Datas e horários: Abertura para convidados dia 7 de novembro, quarta-feira. De quinta a domingo (8 a 11 de novembro de 2018). De quinta a sábado, das 14h às 21h; domingo, das 11h às 19h.
Local: Clube A Hebraica | R. Dr. Alberto Cardoso de Melo Neto, 115, Jardim Europa.
Ingresso: R$20,00.
Entrada livre.