Notícias

Voltar

Dicas de exposições de artes plásticas em cartaz em São Paulo

Artes Visuais: Confira a seleção do InfoArt com as melhores exposições de artes visuais que acontecem em São Paulo esta semana

O final do ano está chegando, e com ele muitos presentes para os amantes das artes plásticas! Ao longo desta segunda semana de dezembro muita coisa acontece por São Paulo. Exposições entram e saem de cartaz, bem como atividades culturais movimentas os próximos dias da semana.

O Itaú Cultural recebe, nesta terça-feira (12), às 19h, o lançamento do livro 3NÓS3: Intervenções Urbanas - 1979-1982, contemplado pelo Rumos Itaú Cultural 2013-2014 e editado pela Ubu Editora. Consolidado e produzido por Mario Ramiro - integrante do coletivo que realizou intervenções artísticas em plena ditadura militar brasileira ao lado de  Hudinilson Jr. e Rafael França -, o livro, com 240 páginas, reúne uma extensa documentação de trabalhos do 3NÓS3, acompanhados pelos textos das pesquisadoras Annateresa Fabris, Adelaide Pontes e Erin Aldana.

Entre os dias 13 e 14 de dezembro (quarta e quinta-feira), o artista visual Stephan Doitschinoff realiza um Atelier Aberto onde apresenta novas gravuras, entre xilos, litos, serigrafias, monotipías e publicações (Cras e Flor do Cariri), para o público interessado em adquirir as obras. Dentre as gravuras estão algumas edições especiais e do acervo pessoal do artista. Para conhecer o processo de produção dessas obras, confira o vídeo "Lira Nordestina - Stephan Doitschinoff", disponível na seção de vídeos do InfoArtSP.

Buscando arrecadar fundos para a manutenção de seu espaço e de suas atividades em 2018, o JAMAC - Jardim Miriam Arte Clube realiza um leilão online que teve início na quinta-feira (7) e que permanecerá aberto para novos lances até às 23h59 do dia 23 de dezembro de 2017. Toda a renda arrecadada com a venda das obras de artistas consagrados (confira o catálogo aqui) será revertida para o projeto que visa estimular intersecções entre arte e vida, estética e política na periferia da cidade.

Por fim, o IMS Paulista recebe, na quinta-feira (14), um encontro entre Sofia Borges, Peter Pál Pelbart e o público interessado em meio às obras da artista na exposição "CORPO A CORPO". A atividade tem início às 18h30, e faz parte da série "Conversas na Galeria", que promove o encontro de críticos, professores e especialistas com o público nos espaços expositivos do centro cultural localizado na Av. Paulista, estimulando o debate em contato com as obras.

Para você não perder nenhuma novidade no circuito artístico paulistano, o InfoArt selecionou algumas das principais exposições que inauguram durante a semana e outras que estão em seus últimos dias de exibição. Confira:

ABERTURAS

TUNGA: O CORPO EM OBRAS
ARTISTAS: TUNGA
CURADORIA: ISABELLA RJEILLE E TOMÁS TOLEDO
DE 15/12 A 11/3
MASP - MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO ASSIS CHATEAUBRIAND

Entre as cerca de oitenta obras do artista pernambucano expostas estão instalações, objetos e desenhos que percorrem diferentes períodos de sua carreira, dos anos 1970 até sua morte, em junho de 2016. Apesar do amplo período contemplado na exposição, não se trata de uma retrospectiva, mas sim de uma exposição monográfica cujo recorte curatorial tem como foco a maneira como o artista trabalhou os temas da sexualidade e do erotismo - sempre presentes em suas obras - ao longo de sua produção. Integram a exposição trabalhos que utilizam os mais distintos materiais usados por Tunga, como bronze, cobre, latão, madeira, papel, borracha e maquiagem. Saiba mais.

Tunga, Les bijoux de Madame de Sade, 1983. Resina epoxi, dimensões variáveis. Acervo Tunga, Rio de Janeiro. Foto: Jorge Bastos.

ANRI SALA: O MOMENTO PRESENTE
ARTISTAS: ANRI SALA
CURADORIA: HELOISA ESPADA
DE 12/12 A 25/3
INSTITUTO MOREIRA SALLES PAULISTA

A segunda apresentação ampla do trabalho do artista albanês Anri Sala (Tirana, 1974) no Brasil ocupa dois andares do Instituto Moreira Salles Paulista, onde serão apresentadas obras ainda inéditas no país. A mostra reúne trabalhos recentes, sobretudo videoinstalações sonoras, e explicita a dimensão política e ao mesmo tempo sensível da obra do artista. Se por um lado os trabalhos de Sala propõem uma avaliação crítica do mundo contemporâneo; por outro, impactam a sensibilidade do espectador por meio do som, explorando em algumas de suas obras o potencial da música de nos conectar de maneira intensa com o presente. Saiba mais.

Anri Sala, still The Present Moment D (Divulgação)

RASTROS DA PAISAGEM
ARTISTAS: ERMELINDO NARDIN E OUTROS
CURADORIA: SILVANA GUALDA
DE 12/12 A 30/12
CENTRO CULTURAL FIESP

Oito obras inéditas de Ermelindo Nardin, conhecido pelo seu colorido forte e traços marcantes, estarão expostas no Espaço de Exposições do Centro Cultural Fiesp ao lado de outros 43 trabalhos produzidos pelos participantes do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural (IOK) - crianças e jovens com deficiência intelectual e também pessoas sem deficiência que se encontram em situação de vulnerabilidade social - que aprenderam as técnicas de Ermelindo durante oficinas realizadas nos últimos meses. Saiba mais.

Ermelindo Nardim participa de oficina no IOK (Divulgação)

COSMOGRAFIA
ARTISTAS: FELIPPE MORAES
CURADORIA: JULIA LIMA
DE 12/12 A 12/2
BARÓ GALERIA (JARDINS)

Na segunda individual do artista na galeria, são apresentados trabalhos inéditos que incluem os realizados em maio deste ano durante uma residência artística que Moraes participou no Irã. Fotografias, desenhos e vídeos revelam um trânsito de Moraes entre a ciência e o espiritual, mapeando livremente diferentes partes ou aspectos do cosmos. Saiba mais.

Felippe Moraes, The Drag That Said Phi, 2017 (Reprodução/Baró Galeria)

FUGA
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: IAN DUARTE LUCAS E RENATO DE CARA
DE 14/12 A 20/1
VERVE GALERIA

A Verve Galeria, em parceria inédita com a Galeria Mezanino, apresenta a coletiva onde são propostos 3 diálogos entre 6 artistas de ambas as galerias: Luisa Malzoni e Emídio Contente; Vladimila Veiga e Leo Sombra; e Luciano Zanette e Sergio Niculitcheff. São 25 trabalhos expostos em contraponto, do qual emergem inúmeras possibilidades de associação, passando por diversas linguagens e conceitos que utilizam técnicas como escultura, fotografia, gravura e pintura, sempre no intuito de revelar paralelos e correlações entre a obra dos artistas. Saiba mais.

Sergio Niculitcheff, Sem título. Gravura em metal (Divulgação)

ÚLTIMOS DIAS

DI CAVALCANTI - PAPEL EM DESTAQUE
ARTISTAS: DI CAVALCANTI
CURADORIA: HELOUISE COSTA
ATÉ 15/12
GALERIA DA REITORIA-USP

O MAC USP apresenta ao público o acervo que tem de Di Cavalcanti, com 561 desenhos selecionados e ofertados diretamente pelo artista (outros três foram doados por Pola Rezende). O conjunto apresentado é de obras realizadas em papel, que representam todas as vertentes do fazer artístico de Di Cavalcanti, que utilizou muitas técnicas sobre o suporte, como guache, crayon, lápis de cor, pastel, aquarela, grafite, nanquim, caneta tinteiro, caneta esferográfica e scrap board.

Di Cavalcanti, Sem título (Figura femininas e cartola), 1950. (Divulgação)

AGORA SOMOS TODXS NEGRXS?
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: DANIEL LIMA
ATÉ 16/12
GALPÃO VB

A primeira exposição a reunir a jovem produção negra brasileira a artistas consagrados chega aos seus últimos dias de exibição. Apresentando o trabalho de 15 artistas nascidos, em sua maioria, nas três últimas décadas do século 20 e que trabalham com frequência na interseção entre as questões raciais e de gênero, elas e eles mostram mais de 20 obras (entre vídeos, fotografias, desenhos, esculturas, instalações e performances) que refletem o amadurecimento da discussão sobre as identidades e negritudes no Brasil. No sábado (16), último que a mostra está em cartaz, será exibido o documentário VCA ABDOULAYE KONATÉ, às 15h. A produção audiovisual é integrante do título a ser lançado pelo selo Videobrasil Coleção de Autores, que reúne o pensamento e o processo de trabalho de artistas contemporâneos de relevância na cena internacional. Saiba mais.

Luiz de Abreu, O samba do crioulo doido. (Divulgação)

50 ANOS POEMA/PROCESSO: UMA VANGUARDA SEMIOLÓGICA
ARTISTAS: VÁRIOS
ATÉ 16/12
BIBLIOTECA MÁRIO DE ANDRADE

Decorrente do concretismo, o movimento Poema/Processo surge como um rompimento criativo com a comunicação institucionalizada no campo da literatura, da poesia, do cinema e das artes plásticas. Na mostra são relembradas primeiras exposições e manifestações artísticas do movimento, iniciadas em dezembro de 1967 e inauguradas simultaneamente em Natal (RN) e Rio de Janeiro (RJ). Estão em exibição obras históricas e inéditas, produzidas entre 1966 e 1977, de artistas como Wlademir Dias Pino, Décio Pignatari, Falves Silva, Moacy Cirne, Paulo Bruscky, Anchieta Fernandes, Márcio Sampaio, Joaquim Branco, P. J. Ribeiro, Ronaldo Wernek, entre outros. Saiba mais.

Wlademir Dias Pino, Sólida, 1962. (Divulgação)

COMO OS RIOS CORREM PARA O MAR
ARTISTAS: SANDRA MAZZINI
DE 21/10 A 16/12
JANAINA TORRES GALERIA

Em sua produção, a artista investiga um tema caro à história da arte: a paisagem. Nos trabalhos, é possível identificar elementos figurativos que são sobrepostos por formas geométricas, numa espécie de "quebra-cabeças", como define Sandra: "A pintura é uma técnica complexa que possibilita vários desdobramentos de sentidos. Nas minhas obras, há várias pinturas dentro de uma só. É uma espécie de trama composta por unidades autônomas". Saiba mais.

Sandra Mazzini, Sem título, 2016. Óleo sobre tela, 150 x 180 cm. (Divulgação)

Confira essas e outras exposições em cartaz em São Paulo na agenda do InfoArtSP; e aqui você pode conferir as últimas aberturas que aconteceram na cidade!