Notícias

Voltar

Aberturas e encerramentos do final de semana - 05/08

O primeiro final de semana de agosto já chegou! São Paulo, como de costume, ferve nestes dias 5 e 6 de agosto com diversas exposições que realizam sua abertura no sábado (5), enquanto outras têm este final de semana como os seus últimos dias de exibição. 

O InfoArtSP separou para você as aberturas e encerramentos, que vão desde mostras fotográficas, passando pela escultura, pintura, individuais e coletivas de artistas nacionais e internacionais. Faça chuva ou faça sol, não dá pra ficar em casa com tantas opções. Confira:

Álbum
Artista: Mauro Restiffe
Curadoria: Rodrigo Moura
De 5/8 a 6/11
Estação Pinacoteca

A Pinacoteca de São Paulo recebe, no prédio da Estação Pinacoteca, a primeira exposição panorâmica da obra de Mauro Restiffe em um museu brasileiro. A partir do sábado (5), a mostra "Álbum", que parte de uma pesquisa sobre o arquivo do artista e inclui somente imagens nunca antes apresentadas em exposições, apresenta o trabalho fotográfico de Restiffe em diálogo com pinturas selecionadas dos acervos da Pinacoteca e do MASP, divididos em grupos de obras que vão da paisagem ao retrato, da abstração à arquitetura, da política ao cotidiano. As 143 fotografias expostas abrangem a produção de Restiffe desde o fim dos anos 1980. Além disso, um catálogo bilíngue da mostra será publicado em agosto com reproduções de obras, um ensaio do curador e um texto de Allen Frame, autor convidado. Saiba mais.

Mauro Restiffe - Álbum (Tempestade, 2003), 1996 - 2017, 40 x 60 cm.

Expedição ao Deserto
Artista: Geórgia Kyriakakis
De 5/8 a 17/9
Instituto Tomie Ohtake

O Instituto Tomie Ohtake exibe, a partir de sábado (5), a série fotográfica “Expedição ao Deserto”, que traz 27 imagens de Geórgia Kyriakakis, resultado de experiências imersivas da artista na cidade de São Paulo. Neste projeto, Geórgia visita e fotografa áreas movimentadas da cidade quando estão totalmente desertas em virtude de feriados, campeonatos esportivos, tensões políticas, entre outras razões. Suas expedições consistem em estar onde ninguém está ou não estar onde todos estão, registrando uma situação singular de tempo e espaço na qual a paisagem e as características da cidade são transformadas radicalmente. As 27 imagens são compostas em três grupos de nove nos quais, impressas nos vidros que emolduram cada conjunto, estão recortadas palavras que formam a frase: “estar onde ninguém está” e “não estar onde todos estão”. A interação da linguagem verbal com os materiais usados nos trabalhos é um procedimento recorrente na trajetória da artista para explorar as relações entre a virtualidade da imagem e a concretude do mundo. Saiba mais.

Geórgia Kyriakakis - Onde Ninguém Está, Exposição ao Deserto.

t twoninethree in-residence
Artistas: Vários
De 5/8 a 9/9
Luciana Brito Galeria

Com abertura no dia 5 de agosto, a mostra, que é resultado de um projeto colaborativo com a galeria t twoninethree sediada em Roma, traz para o espaço expositivo da galeria trabalhos exclusivos de Claire Fontaine, Fabian Herkenhoener, Martin Soto Climent e Tris Vonna-Michell. A exposição orbita em torno da ambígua relação existente entre os conceitos e apropriação, autoria, objeto ready-made e a também delicada relação entre linguagem, narrativa pessoal e história coletiva. Esta exposição coletiva é resultado da segunda fase da bem sucedida colaboração entre a Luciana Brito Galeria e a galeria t twoninethree, sendo a primeira exposição realizada em junho de 2017, em Roma, onde a galeria brasileira apresentou obras de Héctor Zamora, Pablo Lobato e Rafael Carneiro. Saiba mais.

Claire Fontaine -  In God They Trust

Luz e Sombra
Artista: Christian Cravo
De 5/8 a 28/8
Dan Galeria

O projeto "Luz e Sombra" do fotógrafo Christian Cravo, em cartaz a partir deste sábado (5) na Dan Galeria, apresenta ao expectador uma África monumental, plástica e nada clichê, construída a partir de recortes abruptos que privilegiam a estética à narrativa. Desenvolvido ao longo dos últimos sete anos o projeto é resultado de uma imersão do fotógrafo em sete países africanos: Namíbia, Zâmbia, Botsuana, Quênia, Tanzânia, Congo e Uganda. Christian apresenta um conjunto de 25 fotografias, muitas delas inéditas, onde foca na construção da própria imagem, através de questões intrínsecas a luz, tempo e espaço. As cenas capturadas pelo fotógrafo parecem desmaterializar a natureza, desestabilizar a percepção e cativar a imaginação do observador para um mundo que não é exatamente o real. Na abertura da mostra, o artista lança também um livro homônimo, que documenta e conclui esse seu trabalho. Saiba mais.

Christian Cravo - Duna #XII, Deserto do Namibe, Namíbia, 2010.

Laços
Artista: Alexandra Ungern
Curadoria: Claudinei Roberto da Silva
De 5/8 a 26/8
Galeria Tato

A Galeria Tato inaugura no sábado (5) a mostra "LAÇOS”, primeira individual em São Paulo da artista visual Alexandra Ungern, composta por obras com suportes e mídias diferentes e de períodos distintos da produção da artista. A memória de sua família, que migrou da Hungria para o Brasil após a Segunda Guerra Mundial, oferece elementos para a sua pesquisa e a série “It once was…”, trabalho desenvolvido pela artista em uma residência artística na D’Clinic Studios, na cidade de Zalaegerszeg, na Hungria, serviu de inspiração para a mostra. Através das obras, a exposição realiza uma investigação das memórias de lugares e objetos. Também serão apresentadas obras anteriormente desenvolvidas, cujo conceito se baseia no tempo, na degeneração e decomposição, percorrendo pela passagem da vida, morte e o nascimento de uma nova vida. Saiba mais.

Alexandra Ungern - Pepper.

Antilogias: o fotográfico na Pinacoteca
Artista: Vários
Curadoria: Mariano Klautau Filho
Até 7/8
Pinacoteca de São Paulo

Encerra na próxima segunda-feira (7) a mostra "Antilogias: o fotográfico na Pinacoteca", que reúne cerca de 250 obras de 60 artistas e tem como eixo o acervo da Pinacoteca. A exposição busca discutir o meio fotográfico para composição e produção de imagens e objetos, em suas diversas possibilidades, narrativas e suportes. “A intenção é colocar em diálogo obras que, de um lado, possam contar alguns percursos da história do acervo fotográfico e o seu desenvolvimento, e de outro, propor uma abordagem sem cronologias sobre a produção contemporânea apoiada na relação entre as poéticas”, explica o curador Mariano Klautau Filho. Além das obras do acervo da Pinacoteca, compõem a mostra trabalhos de artistas do Rio Grande do Sul, Pernambuco, Pará e São Paulo, convidados pelo curador. Saiba mais.

Romy Pocztaruk. Porto Alegre, RS, 1983.

Quem tem medo de Teresinha Soares?
Artista: Teresinha Soares
Curadoria: Rodrigo Moura e Camila Bechelany
Até 6/8
MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand

Encerra no domingo (6) a primeira exposição panorâmica dos trabalhos de Terezinha Soares em um museu, tanto no Brasil quanto no exterior, e também sua primeira grande individual em mais de 40 anos. Com mais de 50 obras do intenso período produtivo da artista mineira, que se deu entre 1965 e 1976, "Quem tem medo de Teresinha Soares?" ocupa o 2º subsolo do museu com pinturas, desenhos, gravuras, caixas-objetos, relevos e instalações, além de documentação fotográfica sobre as performances e happenings pioneiros da artista. O título da mostra faz menção à célebre peça Quem tem medo de Virgina Woolf?, de Edward Albee, e faz referência aos tabus comportamentais que a obra de Teresinha Soares enfrenta ao se contrapor ao machismo da sociedade e do meio da arte, sendo precursora ao abordar em seu trabalho temas de gênero, como a liberação sexual feminina, a violência contra a mulher, a maternidade e a prostituição. Saiba mais.

Teresinha Soares - Xifópagas uterinas, da série A mulher em 10 parágrafos, 1968. Coleção da artista, Belo Horizonte. Crédito: Jorge Bastos.

Consciência Cibernética [?]
Artista: Vários
Até 6/8
Itaú Cultural

Em cartaz no Itaú Cultural até o domingo (6), a mostra "Consciência Cibernética [?]" ocupa os três pisos do espaço expositivo do Itaú Cultural com 10 obras de artistas nacionais e internacionais. A exposição revela, em linguagem artística e interativa, a evolução das máquinas, que cada vez mais assumem funções antes só alcançadas pelo cérebro humano. Saiba mais.

Eden- Jon McCormack. Fotos: divulgação.

Dobradura curva
Artista: Iole de Freitas
Até 5/8
Galeria Raquel Arnaud

Em cartaz na Galeria Raquel Arnaud até o sábado (5), a individual "Dobradura curva", da mineira Iole de Freitas, apresenta três esculturas em grande formato e cerca de sete peças menores, todas feitas em aço. As obras expostas exigiram extensa pesquisa, cálculos de pontos de apoio, inclinação e resistência, levando a artista a criar ferramentas para trabalhar as placas de aço utilizadas nas obras. A investigação sobre a ocupação dos espaços arquitetônicos de museus e galerias, um dos pontos-chave da produção da artista, evidencia-se na mostra pelas experimentações espaciais que exploraram a relação entre a horizontalidade do volume da galeria e o posicionamento das obras em aço que, como Iole ressalta, mesmo sendo resistente e industrial, se deixa moldar, assume novos formatos e surpreende ela mesma e o espectador por suas possibilidades. Saiba mais.

Iole de Freitas- Sem título, 2017. Aço inox 26x70x34 cm.

A Bela e a Fera
Artista: Vários
Curadoria: Leda Catunda
Até 5/8
Central Galeria de Arte

Com curadoria da artista Leda Catunda, a mostra coletiva "A Bela e Fera" reúne o trabalho de oito artistas até o próximo sábado (5) na Central Galeria de Arte. A exposição revela como os artistas, partindo de sua visão subjetiva, lidam com os atuais conceitos do belo e do feio através de pinturas, fotografias, desenhos, objetos e vídeo. A mostra é dividida ao meio, na primeira sala estão os trabalhos considerados, de acordo com os critérios adotados por cada artista, como belos e numa outra sala, estão os trabalhos denominados feios. Saiba mais.

Bruno Dunley- Sem título, série Bestiário 2017. Óleo sobre tela 160x130cm.

O verdadeiro glamour britânico
Artista: Norman Parkinson
Curadoria: Mário Cohen
Até 5/8
Galeria Mário Cohen

"O verdadeiro glamour britânico", em cartaz até o sábado (5) na galeria especializada em fotografia Mário Cohen, é a primeira individual de Norman Parkinson na América do Sul, e reúne 29 obras do grande fotógrafo inglês que influenciou a fotografia de moda a partir dos anos 30. Parkinson iniciou sua carreira na fotografia em 1935 e foi responsável por famosos editoriais de moda das revistas Harper’s Bazaar, Vogue e Queen Magazine. Entre a seleção de imagens estão também registros da passagem de Parkinson pelo Brasil. Na ocasião, ele fotografou um editorial de moda na capital carioca, que rendeu 17 páginas na edição intitulada “Playing it Cool in Rio”, da revista Queen. Saiba mais.

Norman Parkinson - Young Velvets, Young Prices, Hat Fashions, 1949.

Pinturas e relevos recentes
Artista: Valdirlei Dias Nunes
Até 5/8
Casa Triângulo

Até o sábado (5) é possível visitar a individual de Valdirlei Dias Nunes, na Casa Triângulo. Para além de uma discussão acerca de legados históricos pontuais, o foco principal da obra de Nunes parece ser a própria natureza da representação. Na medida em que seu trabalho converge para uma certa simplificação pictórica que se desenvolve simultaneamente ao tratamento mais elaborado da superfície dos materiais retratados, o artista passa a explorar cada vez mais as possibilidades escultóricas da pintura. Nas duas principais séries de trabalhos apresentadas nesta exposição, Nunes aprofunda seu interesse em explorar a natureza da pintura e as qualidades físicas e associações simbólicas dos materiais representados. Saiba mais.

Sem título, 2017. Acrílica sobre tela, 19 7/10 × 11 4/5 em 50 × 30 cm

Portfólio #3
Artista: Vários
Curadoria: Duílio Ferronato e Eduardo Besen
Até 5/8
Galeria Gravura Brasileira

Em cartaz na Galeria Gravura Brasileira até o sábado (5), "PORTFOLIO #3" é uma exposição coletiva com gravuras, fotografias, instalação e pinturas de 5 jovens artistas brasileiros - Cláudio Caropreso, Fernando Sato, Higo Joseph, Jeff Chies e Sérgio del Fiol. Esta mostra será a terceira etapa do projeto da galeria de realizar uma série de 5 exposições coletivas, todas intituladas Portfólio, para apresentar ao público o seu novo time de artistas. Saiba mais.

Fernando Sato - Democracia, impressão sobre papel colada sobre madeira, 2017, 14x5x2cm.

Confira em nossa agenda outras exposições em cartaz na capital paulista e a matéria com a programação especial que ocorre durante o final de semana em alguns espaços culturais na nossa área de notícias