Notícias

Voltar

Aberturas da semana - 07/08

Segunda-feira, 7 de agosto de 2017, e muita coisa ainda está pra acontecer durante a semana de estreias em São Paulo. Abertura de mostras individuais, intervenção na fachada de um prédio e a realização da 6ª edição do Prêmio Marcantônio Vilaça para as Artes Plásticas e de uma exposição beneficente são os pontos altos dos próximos dias.

Quer descobrir o que as galerias e instituições da cidade prepararam para você durante a semana? Então confira aqui:

Kalligráphos
Artista: Cláudio Gil
De 8/8 a 17/12
SESC Santana

A fachada do SESC Santana passa a exibir o trabalho do artista Cláudio Gil com a intervenção "Kalligráphos" pelo projeto Sesc Vitrine, que torna os vidros dos muros de entrada da unidade uma galeria de rua que exibe trabalhos artísticos de fotografia, desenho, gravura e outras intervenções. A obra, feita pela técnica de caligrafia, apresenta um contínuo de palavras de ordem, desordenadas e destituídas de suas formas originais e oferece uma poética visual que propõe espelhar a desordem da própria sociedade em busca de uma ordenação econômica, política ou cultural. Saiba mais.

Cláudio Gil. Foto: Divulgação.

Individual de Mariana Maurício
De 8/8 a 9/9
Galeria Leme

A partir da terça-feira (8), a brasileira Mariana Maurício expõe um conjunto de obras inéditas em sua terceira individual na cidade de São Paulo. Radicada em Londres,  a artista geralmente trabalha com fotografias e outros materiais encontrados na rua e, nesta mostra, busca aprofundar a sua exploração sobre a carga simbólica de simples objetos do cotidiano - como uma tábua de passar roupa encontrada em um beco em Londres. Em cartaz até 9 de setembro na Galeria Leme. Saiba mais.

Mariana Maurício - Tabuarosa

CompartiArte
Artistas: vários
Curadoria: Agnaldo Farias
De 9/8 a 11/8
Centro Brasileiro Britânico

Inaugura na quarta-feira (8), somente para convidados, a "4ª CompartiArte", mostra que une exposição de arte contemporânea e apoio a instituições sociais, no Centro Brasileiro Britânico. Com o apoio de um grupo de voluntários e sob a consultoria do curador Agnaldo Farias, o evento ocorre até a sexta-feira (11) e contempla, com a destinação dos recursos levantados, as entidades AMEM (Associação dos Amigos do Menor pelo Esporte Maior) e a Share (Associação Beneficente Nossa Senhora Auxiliadora). Neste ano, 74 artistas colaboram com o evento e cedem pelo menos 50% do valor que deverá ser arrecadado com a venda de suas obras; entre eles estão nomes como Albano Afonso, Leda Catunda, Paulo Pasta e Sandra Cinto. Saiba mais.

Phanton Bridge, por Mila Mayer

6ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas
Artistas: vários
De 10/8 a 1/10
MuBE - Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia

Os trabalhos dos 20 artistas finalistas da "6ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas" serão reunidos no Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (MuBE) entre os dias 10 de agosto e 01 de outubro de 2017. No evento de abertura, na quinta-feira (10), serão anunciados os cinco artistas ou coletivos e o curador premiados com uma quantia em dinheiro e um ano de acompanhamento de um curador ou crítico de arte. Saiba mais.

Edith Derdyk - Blanco Blanchot Bla Bla, Instalação, 2017.

do silêncio: vers Leonilson
Artistas: vários
Curadoria: Ricardo Resende
De 10/8 a 23/9
Galeria Marília Razuk

A mostra "do silêncio: vers Leonilson", que abre as portas na próxima quinta-feira (10), cria diálogo entre a obra de Leonilson (1957-1993) e a produção de Gustavo Rezende, Hilal Sami Hilal, João Castilho, Johanna Calle, Luiz Solha, Maria Leontina, Marina Weffort, Mira Schendel, Paulo Whitaker, Sergio Romagnolo, Vanderlei Lopes e Wagner Malta Tavares. Com curadoria de Ricardo Resende, a exposição propõe uma pausa e reflete sobre as diversas e multifcetadas formas de silêncio na arte. Saiba mais.

Leonilson - Untitled, 1992. Thread on voile 19,5 x 29 cm. Foto (Photo) Felipe Bartarelli / Projeto Leonilson

Jardim
Artista: Bruno Cançado
De 10/8 a 23/9
Central Galeria de Arte

A individual do mineiro Bruno Cançado, em cartaz a partir de quinta-feira (10), na Central Galeria de Arte, tenciona uma aproximação entre a dinâmica impassível da cidade e a afetiva, vinculada à idéia de jardim. Segundo o artista, esses elementos urbanos lhe parecem muitas vezes “brotar” e acabam fugindo de nosso controle - se assemelhando a espontaneidade dos elementos da natureza - como se tivessem vida própria. Os trabalhos que compõem a exposição, são todos de natureza escultórica e partiram da experimentação de diferentes materiais, adentrando na investigação de suas materialidades e aspectos inerentes a elas, sejam eles físicos ou culturais. Saiba mais.

Bruno Cançado, 2017. Concreto e pedra de rio 36 x 40 x 36 cm.

Confira nossa agenda e fique sabendo de outras exposições que acontecem em São Paulo.