AGENDA CULTURAL

Voltar

Provocar Urbanos

Artistas: Vários

Curadoria: Sesc Vila Mariana

De 20/3 a 31/7

SESC Vila Mariana Ver mapa

Endereço: Rua Pelotas, 141 - Vila Mariana

Telefone: (11) 5080-3000

A exposição "Provocar Urbanos", com curadoria da equipe do Sesc Vila Mariana, conta com obras de diversos artistas contemporâneos e fica em cartaz de 20 de março a 31 de julho de 2016. Além da exposição, a programação contará com diversas atividades que abordam o espaço urbano a partir de diferentes perspectivas.

O projeto "Provocar/Convocar Urbanos", que propõe reflexões – e ações! – sobre o direito pleno à cidade, considerando as dimensões individuais, sociais e políticas ao problematizar questões socioambientais do espaço urbano. A exposição "Provocar Urbanos" conta com obras de Ángela León, Coletivo Basurama, Erica Ferrari e Maurício Adinolfi, Graziela Kunsch, Guilherme Teixeira, Jarbas Lopes, Marcelo Cidade, Rodrigo Bueno e Vinícius S. A., e tem entrada gratuita. Paralela à mostra, haverá programação de diversas linguagens artísticas, a "Convocar Urbanos", com atividades que propõem ações sobre o direito à cidade, considerando a convivência entre cidadãos, por meio das provocações ensejadas pelas obras e atividades.

Jarbas Lopes (Divulgação)

Sobre a exposição
Provocar: pro-vocar (chamar à frente/desafiar). Nesse aspecto, "Provocar Urbanos" é um convite à reflexão sobre a plena ocupação da cidade, transpondo as barreiras físicas e simbólicas que surgem na metrópole. Ao problematizar as potencialidades e desafios do espaço urbano, a exposição propõe dialogar com o público sobre as complexas configurações da vida na metrópole, expressando de forma crítica e poética elementos naturais e sociais que estão dialeticamente envolvidos nessa equação. À exposição integram-se importantes artistas contemporâneos como:

- Ángela León, com os Desenhos do Guia Fantástico de São Paulo. Depois de quatro anos morando em São Paulo, a artista criou ilustrações nas quais propõe uma revisão do imaginário da cidade brasileira. Tudo se apresenta como se existisse, mas a seleção de lugares e personagens conta com elementos da realidade, do passado e de iniciativas que foram pensadas, mas que não chegaram a existir.

Ángela León (Divulgação)

- Coletivo Basurama, com a obra Cidade para crianças de 0 a 99 anos. Os espanhóis desse coletivo transformam todo tipo de resíduo em matéria lúdica; desde 2001, em várias cidades do mundo, criam playgrounds, filmes, mostras e brinquedos com todo tipo de material. Nesta mostra, materiais utilizados pelo Sesc foram reaproveitados, servindo como matéria-prima para construção da obra.

- Erica Ferrari e Maurício Adinolfi, com O Nome da Margem. O trabalho, feito a partir de escoras que sustentam e comprimem um aglomerado de materiais comumente usados na construção civil, remete à ocupação desordenada do espaço urbano e traz em áudio o registro de depoimentos de diferentes personagens-colaboradores desta obra-história sobre o bairro Vila Marina.

- Graziela Kunsch, com o Projeto Mutirão. Esse trabalho, que a artista realiza há mais de dez anos, compreende um arquivo com uma série de vídeos de ações coletivas de transformação espacial. A maioria dos vídeos produzidos até aqui foram gravados pela própria artista, mas há também excertos de outras pessoas, incluindo registros recentes do cotidiano das escolas ocupadas em São Paulo. A obra não tem fim e compreende um arquivo com uma série de vídeos de ações coletivas de transformação espacial, sendo renovada a cada edição, a partir da colaboração entre a artista e o público.

- O Laboratório de Modelagem Urbana de Guilherme Teixeira. O LMU é um dispositivo de criação, reflexão e partilha da cidade. Centenas de peças de madeira em tamanhos e formatos variados são dispostas sobre mesas hexagonais modulares e móveis onde o público se reúne para projetar e partilhar suas ideias, sonhos, utopias e distopias, negociando formas de uso do espaço urbano e construindo cidades imaginárias – ou nem tanto - coletivamente.

Jarbas Lopes (Divulgação)

- Jarbas Lopes, com Cicloviaérea. Trata-se de uma visão simultaneamente estética e funcional, que concebe uma pista elevada do solo para deslocação em bicicleta no contexto urbano. Os seus princípios assentam na experiência totalizante de miscigenação entre arte e vida, refletindo ainda um crescente espírito social empenhado em questões de sustentabilidade e mobilidade.

- Marcelo Cidade, com os Monoblocos. Tijolos de concreto sobre rodízios, espalhados pelo espaço expositivo. Eles se deslocam a partir da ação do expectador e a intenção do artista é desconstruir a hierarquia da verticalidade na arquitetura, tirando a função primária, original, de cada tijolo. Propõe uma ocupação autônoma e efêmera do espaço expositivo.

- A escultura Barravento, de Rodrigo Bueno, subverte a utilidade dos objetos e confere a eles novas funções, apresentando, poeticamente, a liberdade do vento, que segue seu curso levantando grades de ferro, plantas e ripas de madeira. É como se um golpe de vento levasse esculturas a uma onda em movimento entre as torres do Sesc Vila Mariana, desafiando a gravidade em favor da fluidez dos elementos.

- Lágrimas de São Pedro, de Vinícius S.A. A obra é composta por bulbos de lâmpadas cheios d’água presos por fios de nylon ao teto em diferentes alturas e iluminação específica, e propõe reflexões sobre as chuvas e a crise de abastecimento de água nas cidades. Este trabalho rendeu a Vinícius S.A. o convite para expor em Frankfurt, Alemanha, em março de 2014: “É como se tivéssemos o poder de pausar a chuva, uma chuva de gotas grandes, limpas, transparentes, leves e com isso poder contemplar sua beleza, seu poder, seu símbolo, sua necessidade”, afirma Vinícius.

"Provocar Urbanos" terá abertura às 11h do dia 20 de março, domingo, e será marcada pela “Vila Ambiental”, uma feira de práticas sustentáveis que tem o objetivo de apresentar ao público um conjunto de ações, que são realizadas na capital e municípios do entorno de São Paulo, assim como pelo próprio Sesc. 

Marcelo Cidade, Monoblocos (Divulgação)

Educativo
A exposição contará ainda, durante todo o período, com um projeto educativo específico, que contemplará ações em mediação. A equipe de educadores terá papel fundamental para a ativação das ideias e reflexões sobre a arte contemporânea e as ações sobre a cidade, por meio das provocações ensejadas pelas próprias obras e atividades propostas. Desta forma, pretende-se criar um espaço de experimentação com ações práticas, vivências, encontros e mediações junto aos visitantes e grupos agendados, com o objetivo de aproximá-los da produção contemporânea em artes plásticas e visuais e das discussões atuais sobre urbanização.

Programação Convocar Urbanos
Convocar: con-vocar (chamar junto). Propondo a integração do educativo com o artístico, a "Convocar Urbanos" leva o público a agir sobre o direito à cidade, que engloba questões-chave – presentes também na exposição, ligadas aos grandes conglomerados urbanos: água, moradia, mobilidade, ocupação dos espaços públicos e privados, dentre outros.

Durante os meses em que a exposição "Provocar Urbanos" ficar em cartaz na Unidade, a programação "Convocar Urbanos" prevê outras atividades ligadas a esta temática como: feira de práticas sustentáveis e produtos orgânicos, troca de livros, troca de brinquedos, oficinas de sustentabilidade, cursos teóricos e práticos sobre a arte e ativismo urbano, performances, vivências com dança de rua, atividades em música e literatura, sessões de cinema, além de bate-papos sobre temas presentes no cotidiano das metrópoles.

Neste sentido, trazemos a ideia integrada de Provocar/Convocar, por meio de atividades reflexivas e práticas, no decorrer de todo o período da exposição, em uma perspectiva de democratização do acesso aos recursos que a cidade oferece e do direito de repensá-la coletivamente, construindo novas formas de viver na cidade.

Vinícius S.A. (Foto: Erivan Morais)

serviço
Exposição: "Provocar Urbanos – Inquietações sobre a cidade", coletiva com curadoria do Sesc Vila Mariana.
Datas e horários: Abertura dia 20 de março, domingo, às 11h. Em cartaz de 20 de março a 31 de julho de 2016. De terça a sexta, das 10h às 21h30; sábados, das 10h às 20h30; domingos e feriados, das 10h às 18h30.
Local: Sesc Vila Mariana | R. Pelotas, 141 - Vila Mariana.
Entrada gratuita.