AGENDA DAS ARTES

Voltar

PORTFOLIO #3

Artistas: Cláudio Caropreso, Fernando Sato, Higo Joseph, Jeff Chies e Sérgio del Fiol

Curadoria: Duílio Ferronato e Eduardo Besen

De 10/6 a 5/8

Galeria Gravura Brasileira Ver mapa

Endereço: Rua Ásia, 219 - Cerqueira Cesar

Telefone: (11) 3624-0301

PORTFOLIO #3 é uma exposição coletiva com gravuras, fotografias, instalação e pinturas de 5 jovens artistas brasileiros. Esta mostra será a terceira etapa do projeto da galeria de realizar uma série de 5 exposições coletivas, todas intituladas Portfólio, para apresentar ao público o seu novo time de artistas.

A galeria Gravura Brasileira+2 é uma associação de Eduardo Besen da galeria Gravura Brasileira com o arquiteto e designer Duílio Ferronato e com o colecionador Sergio Nardinelli.

Artistas e obras - exposição PORTFOLIO #3

Claudio Caropreso,

Ron Mueck, xilogravura, 41x37cm, 2017.

Claudio Caropreso fala da multiplicidade da contemporaneidade em seus rostos sinuosos de traços marcantes. O entendimento destas cabe ao observador, pois Caropreso não lança mão de estrutura fácil, é preciso decifrá-lo e terminar a obra na mente de quem a vê. Canibalizando imagens as torna além de qualquer reconhecimento essencialmente, vitalmente suas. De alguma forma profundamente particular e imediatamente reconhecível as vitaliza, as eletrifica. A obra de Caropreso é eletricidade traduzida em arte.
trecho do texto de Zizi Baptista: Cláudio Caropreso, 1975, nasceu em São José dos Campos. É graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade do Vale do Paraíba. Iniciou sua carreira na gravura em 2001 no Atelie Livre da Fundação Cultural Cassiano Ricardo.Já expôs no Brasil e exterior e em 2011 foi premiado na Bienal Internacional de Gravura de Sarcelles na França. Tem obras no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo e na Biblioteca Mario de Andrade em São Paulo.

Fernando Sato

Democracia, impressão sobre papel colada sobre madeira, 2017, 14x5x2cm.

Fernando Sato é um fotógrafo da hora, da hora exata e do momento atual. Ligado ao Coletivo casa da Lapa participa da vida política do Brasil em manifestações, congressos e passeatas. Com sua caixa-remédio da Democracia retrata personalidades e povo segurando e acalentando a nossa frágil "Democracia! nas mais variadas posições, raças, credos e cor. Sua obra une o caráter documental da imagem e o retrato à crítica social compondo um panorama do nosso tempo. Fernando Sato é fotógrafo e jornalista

Higo Joseph

Sem título, pintura acrílica sobre tela, 2017.

A pintura de Higo Joseph traz sua visão das ruas, da história da arte e da sua vida de grafiteiro e skatista. Entre o surreal e o gráfico, inspira-se na linguagem dos quadrinhos, na ilustração trazendo o frescor da experimentação e da ousadia. Nascido no interior do Ceará em 1994, na zona rural da cidade de São Benedito, seu interessepor arte surgiu ainda na infância, quando já pintava e desenhava para professores e amigos.Em 2004 formou- se no curso de teatro pelo Núcleo de Arte, Educação e Cultura da cidade. Em 2007 mudou-se para São Paulo onde se introduziu na arte contemporânea e influenciado pelo ritmo frenético da metrópole despertou seu interesse para trabalhar com arte. Em 2014, formado em Multimídia, logo deu início ao desenvolvimento de sua pesquisa. Em 2015 realizou sua primeira exposição, no espaço cultural Casa da Luz.

Jeff Chies

Sem título, pintura a óleo sobre tela, 190x170cm

Podemos ver, nos trabalhos de Jeff Chies, um universo de imagens capturadas em pleno movimento através do tempo e do espaço. Um caligrama à Cy Twombly, um desfoque à maneira de Gerhard Richter, uma solução à la De Kooning de conciliação entre linha desenhada e tinta espalhada.
trecho de texto de Juliana Monachesi: Jeff Chies é artista plástico, diretor de cena, e diretor de arte. Graduado pela PUC de Porto Alegre em Comunicação Social. Seus estudos em artes plásticas foram desenvolvidos com o crítico Rodrigo Naves. No acompanhamento crítico “Prática e Reflexão”, no Instituto Tomie Ohtake, ministrado pelo artista plástico e curador Paulo Pasta de 2008 `a 2012. E no Grupo de estudos sobre Arte Contemporânea coordenado pela crítica e curadora Juliana Monachesi.

Sérgio del Fiol

Mundos. Fotografia, impressao sobre metacrilato, 30x30cm, 2016.

O artista Sérgio del Fiol faz o resgate de um formato muito utilizado no começo do século passado no Brasil, mas um tanto deixado de lado atualmente: a foto panorâmica. Este é o formato mais confortável para o olho humano, pois a perspectiva longitudinal permite uma visão global da obra e transporta o espectador, inserindo-o no seu contexto. Assim, a contemplação das obras se transforma numa experiência sensória única, cujo fascínio é ampliado pelas tecnologias digitais no trabalho com a luz, as cores, a nitidez oferecida pelo papel escolhido, a sobreposição de múltiplas camadas – detalhes que são a marca do artista. Sergio Del Fiol estudou Publicidade e Propaganda na Flórida, na década de 90. De volta ao Brasil, estudou também Arquitetura e Urbanismo, desenvolvendo a partir de então vários projetos arquitetônicos na área civil na cidade de São Paulo, assim como para o mercado corporativo. A descoberta da fotografia em 360 graus deu início a uma nova etapa profissional a partir de 2007. Visando aprofundar-se na sua nova paixão, participou ativamente de várias conferências mundiais no ramo da fotografia panorâmica. Trocou experiências com profissionais de países como Portugal, Islândia, Estados Unidos e França. Desde então, tem ministrado cursos de fotografia panorâmica para aqueles que buscam maior especialização. Foi destaque na matéria de capa da revista Digital Photographer Brazil, edição de fevereiro de 2011 e contemplado no concurso “The EPSON International Pano Awards 2013 e2014″ com os trabalhos: “ThePilar”– ponte de Manhattan  e “Bamboo”.

Serviço:
Local: Galeria Gravura Brasileira+2
Abertura - 10 de junho de 2017 das 13 às 17h
Exposição “PORTFOLIO #3
Período expositivo: 10 de junho a 05 de agosto de 2017.
Artistas: Cláudio Caropreso, Fernando Sato, Higo Joseph, Jeff Chies e Sérgio del Fiol.