AGENDA CULTURAL

Voltar

Paisagens Gráficas

Artistas: Stela Barbieri e Fernando Vilela

Curadoria: Cauê Alves e Guilherme Wisnik

De 3/9 a 4/12

Espaço Cultural Porto Seguro Ver mapa

Endereço: Alameda Barão de Piracicaba, 610 - Campos Elíseos

Telefone: (11) 3226-7361

A exposição "Paisagens Gráficas" reúne os últimos trabalhos de Stela Barbieri e Fernando Vilela, artistas com muitos pontos em comum na temática, na poética e na linguagem. Recentemente, o MoMa de Nova York e a Pinacoteca do Estado de São Paulo adquiriram obras dos artistas, fazendo com que sua produção tenha uma grande importância para o fomento da manifestação artística nacional.


Créditos da foto: Arthur Calazans

A convivência no ateliê compartilhado mobilizou Fernando Vilela e Stela Barbieri a perceberem diálogos, contrapontos e confrontos entre seus trabalhos. Dai surgiu esta exposição, na qual as paisagens inventadas pelos artistas acontecem em diferentes espectros.

Com vermelhos e laranjas, Stela cria paisagens e lugares a serem habitados. Levando em conta a fabulação, desenha, pinta e faz maquetes, para depois construir esses espaços. Fernando parte da fricção entre a cidade que habita dentro dele e a metrópole onde vive, criando imagens
gráficas no embate físico com a madeira, o grafite e outros materiais com que opera.


Créditos da foto: Arthur Calazans

Com curadoria de Cauê Alves e Guilherme Wisnik, a mostra reúne obras da dupla em diferentes suportes que, em seu conjunto, formam uma narrativa visual contínua, construída ao longo da parede do espaço expositivo.

Assim como as pessoas, trabalhos de arte criam vínculos entre si de vários modos. Embora as obras da mostra tenham nascido no mesmo ateliê, elas possuem distintas personalidades, origens formais e conceituais. Stela Barbieri se interessa pelo campo daimaginação e provoca ações que fogem de seu controle, tratando o acaso como elemento construtivo; Fernando Vilela investigaa cidade que o rodeia, os planos que impedem e permitem que o olhar penetre nas texturas de imagens fotográfi cas de um negro intenso e profundo. Daí que os diferentes caminhos que levam os dois artistas à fi guração – o frágil traço orgânico, que desvela afi nidades entre natureza e cultura, ou a solidez geométrica, afirmando o peso instável da experiência urbana – se mostrem aqui não como uma incompatibilidade, mas, ao contrário, como um rico diálogo através do qual a nossa visão de paisagem se expande. É a diferença que possibilita que essas poéticas se complementem e se encontrem de modo efetivo e afetivo.
Caue Alves e Guilherme Wisnik


Créditos da foto: Arthur Calazans


Os Artistas:

Fernando Vilela trabalha com diversos procedimentos e linguagens, com destaque para o uso da xilogravura e da fotografia integradas. Já Stela Barbieri opera com diferentes linguagens, nas quais o corpo ativa os espaços, desenhos e pinturas.