AGENDA DAS ARTES

Voltar

MAM 70: MAM e MAC USP

Artistas: Vários

Curadoria: Ana Magalhães, Helouise Costa e Felipe Chaimovich

De 4/9 a 16/12

MAM - Museu de Arte Moderna Ver mapa

Endereço: Parque Ibirapuera, Portão 3 - Ibirapuera

Telefone: (11) 5085-1300

O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP) celebra os seus setenta anos com uma mostra que destaca os valores fundamentais da instituição. Com curadoria de Ana Magalhães, Helouise Costa (MAC USP) e Felipe Chaimovich (MAM-SP), "MAM 70: MAM e MAC USP" reúne obras, artistas e ações pioneiras que marcaram a trajetória da instituição. Fundado em 1948, o MAM São Paulo é um dos primeiros no Brasil dedicados a colecionar e exibir arte moderna, e sua ação pioneira acabou originando outras instituições relevantes no cenário cultural, como a Fundação Bienal de São Paulo, o Museu de Arte Contemporânea da USP e a Cinemateca Brasileira. A exposição fica em cartaz entre os dias 4 de setembro e 16 de dezembro de 2018. Aos sábados a entrada é gratuita.

Alfredo Volpi. Foto: Rômulo Fialdini.

Desde o início, o MAM buscou formar uma coleção por meio de mostras prospectivas, desenvolver uma prática pedagógica, expandir o campo da fotografia como arte e antecipar os rumos das tendências artísticas futuras. Agora, com a atual mostra, o museu revisita esses quatro princípios para enxergar adiante, a partir de uma história já consolidada no Brasil e no exterior.

Com uma coleção de mais de 5 mil obras produzidas pelos nomes mais representativos da arte moderna e contemporânea, principalmente brasileira, o MAM selecionou 103 obras para essa exposição que aponta para o futuro. “Desde sua fundação, o MAM é um museu que assumiu permanentemente o risco de lidar com a produção experimental, daí seu compromisso com a prospecção da contemporaneidade”, afirma o curador do Museu, Felipe Chaimovich. Entre as peças selecionadas para esta exposição encontram-se desde trabalhos europeus, como os de Joan Miró, Fernand Léger, Jean Arp, até brasileiros como Alfredo Volpi, Geraldo de Barros, Maureen Bisilliat, Nelson Leirner, Cildo Meireles, Tunga, Anna Bella Geiger, Ana Maria Tavares e Claudia Andujar, entre outros nomes.

Obra de Rosângela Rennó exposta na mostra (Foto: Divulgação/Ding Musa)

Parceria entre MAM e MAC USP
A mostra resgata um amplo leque de obras e documentos provenientes dos acervos do MAM e do MAC USP que contam a história de ambas as instituições, abrindo-se para temas focados no futuro da sociedade, como a relação entre arte e ecologia – assuntos que permeiam a identidade do museu. A relação entre os dois museus é determinada por circunstâncias históricas. Em 1963 a coleção do MAM foi integralmente doada à Universidade de São Paulo, o que resultou na criação do Museu de Arte Contemporânea.

Acervo revisitado
A mostra foi organizada em duas partes. Na Sala Paulo Figueiredo estão obras do período inicial do MAM, entre 1949 e 1963. Na Sala Milú Villela, a maior do museu, estão obras das coleções do MAM e do MAC USP adquiridas após essa data. Conectando ambas as salas, está uma linha do tempo contando essa história - sempre seguindo quatro valores que norteiam os núcleos expositivos:

Formação de coleção a partir de mostras prospectivas
Para mostrar as iniciativas do MAM na formação de seu acervo ao longo dos últimos 70 anos, serão exibidas obras adquiridas por ocasião das Bienais de São Paulo, evento criado pelo MAM em 1951; obras provenientes dos Panoramas da Arte Brasileira do MAM e, da parte do MAC USP, obras da Jovem Gravura Nacional, do Jovem Desenho Nacional, da Jovem Arte Contemporânea e de programas recentes de aquisição.

Missão pedagógica
O legado educativo do museu será exibido através de reproduções coloridas utilizadas em mostras didáticas realizadas na Biblioteca Municipal em colaboração com o MAM, entre o final dos anos 1940 e a década de 1950. Além disso, na fachada do MAM, está exposta a obra O museu é uma escola, de Luis Camnitzer, que contextualiza a missão pedagógica da instituição (e que foi adquirida por ocasião da mostra comemorativa dos vinte anos do setor educativo do museu, em 2016).

Expansão da fotografia como arte
A fotografia também é um tema importante do "MAM 70: MAM e MAC USP" - serão reunidas obras fotográficas de ambos os museus, com destaque para o Clube de Colecionadores de Fotografia do MAM. Além disso, serão expostos registros da exposição de Thomaz Farkas, de 1949, a primeira dedicada à fotografia moderna num museu brasileiro, que mudou radicalmente os protocolos de exibição da fotografia artística, sem molduras e passepartouts, com as imagens distribuídas em diferentes alturas e de maneira irregular, tornando o ambiente uma instalação de arte que dialogava com as fotografias expostas.

Desafio do contemporâneo
Obras que participaram da mostra inaugural do MAM, "Do figurativismo ao abstracionismo", também estarão expostas, assim como peças das exposições "Multimedia", realizadas pelo MAC USP em 1976 e que tiveram um papel pioneiro no acolhimento de obras experimentais em museus brasileiros, junto a obras da mostra "Ecológica", do MAM, de 2010, que explicita a linha que o museu vem desenvolvendo nos últimos dez anos para enfrentar os desafios da relação entre arte e ecologia.

MAC Paulista, por Mauro Restiffe (Foto: Divulgação)

Serviço
Exposição: "MAM 70: MAM e MAC USP", exposição coletiva com curadoria de Ana Magalhães, Helouise Costa e Felipe Chaimovich.
Datas e horários: De 4 de setembro a 16 de dezembro de 2018. De terça a domingo, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Local: Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) | Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº - Parque Ibirapuera (acesso próximo pelo portões 2 e 3), São Paulo.
Entrada: R$ 7. Gratuita aos sábados.