AGENDA DAS ARTES

Voltar

H I L É I A | Malysse, o Antropólogo-Travesti

Artistas: Antonio Saggese | Stéphane Malysse

Curadoria: -

De 9/11 a 3/12

Galeria Rabieh Ver mapa

Endereço: Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 147 - Jardim America

Telefone: (11) 3062 7173

Hiléia, trabalho fotográfico de Antonio Saggese, foi realizado durante sucessivas viagens ao Pará entre 2014 e 2016. Entre igarapés, furos e igapós dos rios amazônicos, Saggese registra em imagens monocromáticas a paisagem ribeirinha: a floresta vista da água, a floresta vista na água, multiplicada em reflexões. Além de várias fotografias de grande formato e uma impressão em tecido medindo 3,00 x 4,35 m será apresentada a caixa “Hiléia", com texto de Leon Kossovitch, contendo 6 fotografias (pigmento sobre papel de algodão) medindo 30 x 40 cm cada.

Malysse, o Antropólogo-Travesti de Stéphane Malysse é um projeto artístico que nasce de minha prática como antropólogo. Comecei a colecionar roupas étnicas em uma viagem ao Peru em 2010, numa espécie de extensão de meu trabalho como professor de antropologia da Universidade de São Paulo e do curso de etnografia têxtil, que tratava dos aspectos culturais da vestimenta, olhando para as modas não- ocidentais desde uma vertente etnográfica. Foi diante destas modas de alhures – exóticas e acessíveis, estranhas e vestíveis – que me ocorreu me trasvestir; me tornar um travesti transcultural. Neste projeto inédito, ao mesmo tempo de Arte e Antropologia, o artista transforma-se em antropólogo-travesti através da produção de mais de 60 autorretratos, de tipos e tamanhos variados, que constituem uma coleção etnográfica à parte, sendo que toda a diversidade étnica é incorporada por uma só pessoa: o antropólogo-artista. Profundamente romântico e nostálgico, esse projeto conta também a história de um antropólogo que perdeu suas tribos prediletas e que tenta, como ele pode, ressuscitar os personagens que povoam sua imaginação antropológica.."

Os Artistas
Stéphane MALYSSE, nasceu em 1971 no sul da França, em Carcassonne. Ele é Antropólogo, Artista e Professor de Moda e de Antropologia na E.A.C.H / USP Leste. Radicado em São Paulo, Doutor em Antropologia (EHESS /Paris), ele realizou o seu pós-doutorado, sob a forma do website Opus Corpus, no Departamento de Multimeios do Instituto de Artes da UNICAMP (SP). Publicado em francês, português e inglês o website se tornou referência em Antropologia do Corpo e recebeu vários prêmios internacionais desde 2002. Autor do novo fanzine Anthropology&Photography, MALYSSE é também um pesquisador associado ao Departamento de Antropologia da GOLDSMITH (Londres), onde ele trabalha com Antropologia da Arte Contemporânea e dos Gestos Artísticos. Como artista, MALYSSE já participou de várias feiras de arte contemporânea, como a SP ARTE ou a PARTE, realizou exposições individuais e coletivas, tanto no Brasil como na França, onde ele é representado pela Maelle Galerie d’Art Contemporain (PARIS).

Antonio Saggese, nasceu em São Paulo em 1950. Graduado arquiteto pela FAU-USP, Mestre e Doutor em Filosofia (Estética) pela FFLCH-USP. Dedica-se à fotografia desde 1969 e torna-se rapidamente profissional. Bolsista do Governo Italiano, vive em Milão entre 1983/84, fazendo estágios em estúdios de fotografia de móveis e design e cursos de aperfeiçoamento. Docente no Bacharelado em Fotografia e na Pós-graduação em Fotografia do SENAC, Pós-graduação em Fotografia da FAAP e Professor Convidado na ECA-USP. Seus trabalhos já foram expostos no MASP, MIS/SP, MAM/SP, Pinacoteca do Estado, Instituto Tomie Ohtake, SESC Pompéia, Bienal de SP, Bienal dos 500 anos, MAM/RJ, FUNARTE/RJ, Galeria Tempo, Individuais na Galeria Diaframma e Ken Dammy em Milão. Participou da Bienal de Havana em 1996. Participou do primeiro Arte-Cidade bem como da primeira seleção da Coleção Pirelli MASP. Suas fotografias fazem parte da Coleção do MASP, MAM-SP, MAM-RJ, MIS-SP, Museu da Fotografia de Curitiba, Coleção Joaquim Paiva, além de coleções particulares. Bolsa Vitae em 1992, Marc Ferrez em 1986, 1996 e 2014. Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte, Melhor Exposição de Fotografia 1988. Prêmio na I Quadrienal de Fotografia do MAM-SP.