AGENDA DAS ARTES

Voltar

Frauenpower

Artistas: Vários

Curadoria: Paulo Azeco

De 16/9 a 18/11

Galeria Houssein Jarouche Ver mapa

Endereço: Rua Estados Unidos, 2205 - Jardim América, São Paulo

Telefone: (11) 3061-0690

A Galeria Houssein Jarouche exibe no dia 16 de setembro a coletiva "Frauenpower", com curadoria de Paulo Azeco e 32 obras de diversos artistas que estão relacionados ao universo da Pop Art, como Andy Warhol, Anna Maria Maiolino, Barbara Wagner, Claudio Tozzi, Ivan Serpa, Marina Abramović, Nelson Leirner, entre outros. A mostra busca resgatar um percurso histórico das representações visuais da mulher, a partir das vanguardas da década de 1960, e discutir a idealização do corpo feminino, a criação de padrões estéticos, considerando os aspectos sociais e antropológicos dessas imagens. "Frauenpower", expressão alemã utilizada para designar o poder feminino define de maneira certeira o trabalho da artista Pop Kiki Kogelnik, austríaca radicada em Nova York. 


Alex Katz- Ulla in black hat, 2010. Impressão em tela em 33 cores, 28,5x40cm.

Ao longo da década de 1970, a artista austríaca (radicada em NY) Kiki Kogelnik desenvolveu a série Woman, na qual formulava críticas sobre a imagem feminina tal qual era retratada na publicidade da época - ora frágil, ora sexualizada -, em trabalhos discretamente feministas, irônicos e com forte carga imagética Pop. Reconhecendo a arte como veículo de significação e comunicação visual, "Frauenpower" - expressão alemã utilizada para designar poder feminino - nasce de uma pesquisa sobre a produção desta artista, no intuito de investigar a figura da mulher e a influência da mídia na construção de um imaginário do corpo feminino.


Carlos Vergara- Carnaval. Serigrafia, 49X67cm.

Arquétipo da Vênus de Botticelli, o ideal de beleza e perfeição surge como referência para a construção dos processos de auto-imagem e consequente afirmação e negação. Este conceito é visto nos trabalhos de Marina Abramović, Sandra Gamarra e Lenora de Barros, os quais depositam, na figura da musa, seu contraponto. Além da imagem, o consumo também é abordado, no que se refere à objetivação dos corpos, sexualização e misoginia, além da influência imagética feminina sobre a figura masculina, levando à transcendência de limitações de gênero - como se observa também nas obras de Vânia Toledo, Nan Goldin e Carlos Vergara.


Ivan Serpa- Da série op erótico, 1969. Serigrafia, 70X55cm.

Nas palavras do curador Paulo Azeco: "Por fim, não se trata de uma mostra com cunho feminista, e sim uma celebração da força visual da mulher. Entender o encantamento que fez dessa figuração um dos principais temas de toda a História da Arte, analisando um espectro mais profundo que apenas a beleza do retrato".

Serviço
Exposição: "Frauenpower".
Datas e horários: Abertura dia 16 de setembro, às 14h. 
Em cartaz até 18 de novembro de 2017.
Horário de funcionamento: De terça a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 17h.
Local: Galeria Houssein Jarouche | Rua Estados Unidos, 2205 - Jardim América, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.