AGENDA DAS ARTES

Voltar

Experiência Tumulto IV - Jonas II

Artistas: Wagner Barja

Curadoria: Fábio Magalhães

De 20/10 a 22/11

Andrea Rehder Arte Contemporânea Ver mapa

Endereço: Av. Brasil, 2079 Jardim Paulista

Telefone: (11) 3081-0083

Entre os dias 20 de outubro e 22 de novembro de 2018, a galeria Andrea Rehder Arte Contemporânea apresenta a mostra "Experiência Tumulto IV - Jonas II", um desdobramento das obras de Wagner Barja, com curadoria de Fábio Magalhães. Nessa quarta série de trabalhos, o artista aprofunda e demonstra o seu interesse pelo simbolismo expresso na instalação Jonas, o profeta, exibida em 2015 no CCBB/DF. Barja pela primeira vez traz sua obra à São Paulo e para essa segunda versão de Jonas, trabalha com três espaços contíguos da galeria onde instala três peças de alumínio e as faz conviver com elementos das tecnologias digitais para criar ambientes imersíveis para os visitantes. A entrada é livre e gratuita.

Obras de Wagner Barja ficam expostas até novembro de 2018. Foto: Ding Musa.

Confira a seguir texto do curador, Fábio Magalhães, sobre a exposição:

‘’No silêncio do olhar, a obra plástica de Wagner Barja desencadeia processos de reflexão. Para ele, a arte é sobretudo coisa mental. Suas instalações nos levam a transpor o espaço que habitamos (zona de conforto) para vivenciarmos novas experiências frente às provocações de sua plástica.

Essas provocações têm como ponto de partida a forma, o material, o espaço, a luz/sombra, ou seja, o impulso de linguagem é eminentemente plástico – e intrigante pelas associações de significados diversos que o artista constrói a partir de objetos híbridos.  O percurso de fruição desta instalação traz um emaranhado de possibilidades interpretativas advinda de símbolos e mitos, ainda assim, somos conduzidos pelas tramas poéticas que o artista urdiu.

O título da obra, Tumulto IV, é a porta de entrada para nossa experiência artística, é um tema para nossas reflexões – tumulto é uma irrupção, uma invasão súbita, um transbordamento da ordem que altera e põe em risco o ritmo natural das coisas. Associado ao nome do profeta Jonas, os ossos da baleia nos apontam para o tema bíblico, para a destruição de Nínive, séculos antes da nossa era. Nos faz pensar sobre o poder, a crueldade e a violência.

Deus ordena a Jonas: “Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença.” Jonas 1:2.

Em apertada síntese do relato bíblico: Jonas, temendo a truculência dos assírios, foge e descumpre a ordem divina. Na fuga o profeta embarca para Társis, mas Deus provoca uma tempestade que só termina quando Jonas é atirado ao mar. Surge nesse momento um enorme peixe branco que o engole. Jonas sobreviveu por três dias e três noites no ventre do monstro, para ser expelido depois de arrepender-se e clamar por perdão. O profeta cumpre então seu desígnio e ao chegar a Nínive faz com que os cidadãos se arrependam de sua conduta sanguinária.

Wagner Barja é artista plástico e educador. Fotos: Ding Musa.

Nesta obra Wagner Barja trabalha conceitos de território, de imersão, de inclusão e de afastamento. Faz referências à noção do sagrado como espaço protegido e de espaço profano, sujeito às forças da natureza. Há proximidade, inclusive, com mitos de origem da cultura Tupinambá (Monan e o dilúvio).

O artista já havia tratado o tema Tumulto na instalação realizada em 2015 no CCBB, em Brasília, na qual, as ossadas de baleia portavam nas suas cavidades imagens em vídeo de águas oceânicas – reminiscências de seu elemento natural, do vasto território das suas origens.

Na instalação Tumulto IV realizada para a Galeria Andrea Rehder, Wagner Barja apresenta as vértebras, costelas e respirador da Baleia-jubarte, fundidas em alumínio e acrescenta plumárias vermelhas de guará, ave que habita os mesmos manguezais onde foram encontrados os sambaquis com as ossadas da baleia.

As esculturas aladas surgem na obra do artista como objetos híbridos, como coisas ou seres fora do lugar; como animais monstruosos, em outras palavras, maravilhosos – como no texto de seres imaginários de Jorge Luis Borges. Vale sublinhar que a beleza da plumária escarlate do Guará deve-se à ingestão de um tipo de caranguejo.

Outro protagonista de Tumulto IV é a força permanente das águas oceânicas que atravessam o espaço das ossadas. Barja trabalhou o tema do Tumulto com a inclusão de símbolos contraditórios; com a arqueologia do tempo, de tempos ancestrais como gênesis do presente. Tumulto IV é uma obra perturbadora. Wagner Barja estabelece relações poéticas com o texto bíblico. Relato do Antigo Testamento farto de crueldade e violência, como nos tempos atuais.’’

Fábio Magalhães
Primavera 2018

Fábio Magalhães é o curador da mostra. Fotos: Ding Musa.

Sobre o artista
Wagner Barja (Rio de Janeiro), é artista plástico e educador. Mestre em arte e tecnologia das imagens, pela Universidade de Brasília (UnB). Notório saber em Teoria e História da Arte, Plástica e Arte-Educação, pelo Conselho Superior de Educação/ME. Suas obras fazem parte das principais coleções privadas e acervos institucionais, como, Museu de Arte do Rio MAR, Museu Nacional de Belas Artes RJ, Museu de Arte de Brasília MAB, Museu ONCE (Madri, Espanha), Coleção Cândido Mendes, Coleção Sérgio Carvalho entre outros.

A exposição fica em cartaz na Andrea Rehder Arte Contemporânea, no Jardim Paulista, SP. Foto: Ding Musa. 

Serviço
Exposição: ‘’Experiência Tumulto IV – Jonas II’’, de Wagner Barja com curadoria de Fábio Magalhães.
Datas e horários: Abertura dia 20 de outubro, sábado, a partir das 15h. Em cartaz até 22 de novembro de 2018. De segunda a sexta-feira, das 12h às 18h; sábados, sob agendamento.
Local: Andrea Rehder Arte Contemporânea | Av. Brasil, 2079 - Jardim Paulista, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.