AGENDA DAS ARTES

Voltar

descartes

Artistas: Myriam Glatt

Curadoria: -

De 22/3 a 30/5

Centro Cultural Correios São Paulo Ver mapa

Endereço: Avenida São João, sn - Vale do Anhangabaú

Telefone: (11) 2102-3690

O Centro Cultural Correios de São Paulo inaugura, no dia 22 de março de 2018, a exposição "descartes", da artista Myriam Glatt. A primeira mostra individual da carioca na capital paulista reúne um conjunto de trabalhos produzidos a partir de materiais recolhidos em entulhos – principalmente papelões –, posteriormente apropriados e reutilizados pela artista como suporte das obras. A partir da pintura e da colagem, Myriam cria instalações visualmente potentes, concebidas especialmente para o espaço expositivo, que tocam em temas como ecologia, consumo, arquitetura e apropriação na arte contemporânea. A mostra permanece em cartaz até 30 de maio de 2018 e possui entrada livre e gratuita.

Myriam Glatt, Composição 4, 2018. Colagem e pintura acrílica, 240 x 600 cm. (Divulgação)

O papel, que figura como suporte estruturante da exposição, é também indissociável da atividade da instituição que abriga a mostra. Tanto é que “descartes”, após ter sido realizada no Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro e de Niterói em 2017, é convidada pelos Correios a itinerar por outras três cidades no país: São Paulo, Brasília e Porto Alegre. Em cada uma das etapas, a artista apresentará trabalhos inéditos, criados a partir do mesmo conceito. “Os trabalhos são resultados de uma vontade de experimentar novos suportes, me libertando do tradicional chassi. A partir desta ação, a pintura vira instalação ou relevo, como gosto de chamar as obras em papelão”, afirma Myriam. Já nas pinturas sobre jornal, um descarte diário coletado pela artista ao longo de 4 anos, a opção pela pouca interferência permite que os espectadores leiam os textos publicados, marcando o diálogo entre suporte e pintura.

A exposição em São Paulo reúne quatro instalações inéditas – a maior delas com 15 metros de comprimento – que ocuparão os 590 m² do espaço expositivo e abrangem temas de dois universos. Ao trabalhar com materiais descartados, a mostra reflete sobre as relações entre consumo e natureza, trazendo à tona os processos que deram origem às obras: uma vez produzido a partir de recursos naturais, o papel foi industrializado e processado como mercadoria de consumo, que retornou ao espaço público, primeiro, em forma de lixo e, segundo, de arte. E, em relação à prática artística de Myriam Glatt, a exposição levanta a questão do suporte na arte contemporânea. A artista incorpora nos trabalhos as cores, formas, marcas, imperfeições e inscrições do suporte, que não é visto, aqui, como um mero pano de fundo sobre o qual a artista trabalha; ele próprio estrutura a prática artística de Myriam.

Myriam  Glatt, Série Periódicos, 2017. Pintura sobre jornal, dimensão variável. (Divulgação)

“O corpus da obra da artista é de difícil classificação e não se conforma em permanecer em escaninhos rijos. Pintura, tridimensional, colagem e desenho se coadunam para oferecer elementos variados de apreensão ao público que passa pela ruidosa zona central de São Paulo, onde o prédio dos Correios está encravado. Uma política do precário e uma imbricada relação com o cotidiano se descortinam sobre os trabalhos da artista”, analisa o curador Mario Gioia, que assina o texto crítico da exposição.

Sobre a artista
Radicada no Rio de Janeiro, a artista Myriam Glatt se pauta pelo caráter interdisciplinar em sua produção visual. Arquiteta formada pela Santa Úrsula (RJ) e pós-graduada em Arte\Filosofia PUC RJ (2014), estudou escultura no San Francisco Art Institute e no Santa Barbara City College, California, USA, e pintura e História da Arte em cursos livres no Parque Lage, RJ.

Myriam Glatt, Série Lux, 2017-2018. Caixas de fósforos pintadas e casulos de papier maché, dimensão variável. (Divulgação)

Serviço
Exposição: “descartes”, de Myriam Glatt.
Datas e horários: Abertura dia 22 de março. Em cartaz até 30 de maio de 2018. De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.
Local: Centro Cultural Correios | Avenida São João, s/nº - Vale do Anhangabaú, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.