AGENDA DAS ARTES

Voltar

Cê gosta de laranja? | Terra Firme

Artistas: Fábio Baroli | Pedro Vaz

Curadoria: Renato Silva | -

De 19/11 a 23/12

Baró Galeria (Jardins) Ver mapa

Endereço: Rua da Consolação, 3417 - Cerqueira César

Telefone: (11) 3661-9770

[...] Através de sua nova série de pinturas “Muito pelo ao contrário”, Fábio Baroli retrata um desses matutos, traçando e pontuando seu implícito. Nessa compilação, a sagacidade dos trocadilhos que dão forma a essa narrativa imagética traz não somente o resgate de uma cultura que, na grande maioria das vezes, nos foge à compreensão mas, acima de tudo, aponta a delicadeza das amarras de seu universo pessoal. A blague representada nas pinturas de Baroli é realisticamente sutil e por isso mesmo, devemos olhá-la com leveza, em todos os seus detalhes, de forma a não perder um, dois, cem mundos inteiros e indecifráveis mas, ainda assim, perfeitamente possíveis. Uma contradição deliciosa que se afina imediatamente ao o humor temático da exposição. Afinal, o trocadilho é, acima de tudo, oposição. Imergir portanto é necessário e se mostra possível apenas quando houver de nossa parte um equilibrado senso de compreensão dos pormenores. Tenhamos calma pois o artista sabe, mais do que ninguém, que não é arrazoado buscar em nós os matutos. [...]

Fábio Baroli | Cê gosta de laranja? | 2013 | Óleo sobre tela | 150 x 260 cm (díptico)

Curador - Renato Silva
A montagem da exposição será baseada na curadoria de Renata Azambuja (DF) sobre a exposição "Deitei pra repousar e ele mexeu comigo" - CCBB Brasília.

A Galeria Baró tambem tem o prazer de apresentar a exposição individual Terra Firme, do artista Pedro Vaz, no anexo da galeria no Jardins. Terra Firme é um trabalho desenvolvido a partir da participação do artista, em Setembro passado, na residência LABVERDE (Instituto Nacional de Pesquisa da Amazónia/Manifesta Arte e Cultura), que teve lugar na Reserva Florestal Adolpho Ducke, na Amazónia, em Manaus. A prática de paisagem tem vindo a deparar-se com uma dificuldade persistente, correspondente à sofisticação crescente do ser humano: a incapacidade do artista de se descartar da segunda natureza pela qual se substituiu a ancestral unidade cosmo-antropológica. A paisagem contemporânea propõe, contra essa dificuldade, uma abordagem fenomenológica, pensá-la enquanto experiência. A vídeo-instalação Terra Firme, que agora se apresenta, ensaia precisamente uma solução reconciliadora, que permita uma ligação ao meio natural como experiência em si, com enfoque na presença do artista na natureza desarmada ideologicamente: a natureza e o artista solitários. Será nessa condição que também a instalação aguardará o espectador.


Pedro Vaz | Terra Firme | 2016 | Vídeo | 16'