AGENDA DAS ARTES

Voltar

CCBB Música.Performance

Artistas: Varios

Curadoria: Agnaldo Faria da exposição de Berna Reale

15/7 a 28/8

Centro Cultural Banco do Brasil Ver mapa

Endereço: Rua Álvares Penteado, 112 - Centro

Telefone: (11) 3113-3651

O projeto CCBB Música.Performance chega à sua quinta edição a partir do dia 15 de julho com um salto na programação, trazendo para o CCBB São Paulo trabalhos de artistas de diferentes estados brasileiros, e um artista internacional, em que a performance é parte essencial do processo criativo.

O novo formato do projeto, a cargo da Cinnamon Comunicação, parte de uma linha de pensamento que teve como inspiração o álbum “Hopelesness”, da compositora, cantora e performer Anohni, cujas letras evidenciam um olhar assumidamente político, evocando temas como vigilância, drones militares, pena de morte e crise ambiental.

Para dar entorno a este “estado de espírito”, Berna Reale (Belém, PA) comparece com uma exposição individual no subsolo da instituição, no contexto do CCBB Música.Performance – Edição Especial. Com curadoria de Agnaldo Faria, “Vão” reúne trabalhos inéditos da artista, produzidos exclusivamente para a ocasião, evocando questões sobre vulnerabilidade, violência, gênero e abuso de poder. A exposição contém videoarte e instalação fotográfica, calcados nas performances realizadas. Na foto acima a artista de boxeadora usa e abusa de elementos simbólicos que hora remetem à delicadeza, hora à tortura / repressão. Elementos que circulam pelo imaginário popular e permeiam o universo feminino completam o universo semântico da "luta”. Um duelo sem vencidos ou vencedores.

No dia da abertura da exposição, 15 de julho, Berna e Agnaldo conversam com o público sobre o processo de realização do trabalho, que envolveu performances da artista em sua cidade natal. A exposição permanece em exibição até o dia 28 de agosto, alicerçando os demais conteúdos do projeto. 


Berna Reale. Foto: Diego Feitosa

Amarelo Sintagma é a ocupação cinético-sonora de Alejandro Ahmed e Grupo Cena 11, com curadoria de Elisabete Finger, realizada especialmente para o projeto. Trata-se de uma performance- ocupação que toma o CCBB São Paulo como contexto. Com a provocação de entender este espaço como situação, abraçando também sua condição arquitetônica e suas características histórico- culturais, e mantendo as portas abertas para o mundo externo e para seus agentes, Alejandro Ahmed e seus bailarinos ocupam durante 4 horas o hall do CCBB São Paulo, criando para este tempo- espaço uma situação coreográfica site-specific, também no dia 15 de julho. Em Amarelo Sintagma, música e performance se encontram e se radicalizam no corpo. Corpo que age (performa) e move seu contexto, que tira sons de si mesmo e de seu entorno, construindo uma situação coreográfica transitória, intermitente, que se refaz e se acumula em ciclos, provocando o extraordinário no ordinário, percutindo e precipitando outros mundos. Para Elisabete Finger, “o sentimento de desesperança aparece comumente associado a um conjunto de ideias e imagens negativas ou pessimistas, a uma certa escuridão que recai sobre nós com imenso peso e cansaço. O mal-estar diante de um mundo cheio de disparidades, excessos e extremos, que celebra e massacra com a mesma indiferença, parece materializar-se em forma de perplexidade e esgotamento. É possível, no entanto, ultrapassar com radicalidade este estado de prostração e fazer emergir a desesperança em forma de potência”. Essa é exatamente a proposta de Amarelo Sintagma.

“River of Fundament” (2014), do americano Matthew Barney, é o conteúdo internacional inédito proposto para o contexto do CCBB Música.Performance – Edição Especial, com exibições nos dias 21, 22 e 23 de julho no cinema do CCBB São Paulo. Barney levou sete anos para finalizar este denso e polêmico filme, o seu mais ambicioso empreendimento. Com 5h50 de duração e tendo como cenário a paisagem urbana americana, River of Fundament é uma história épica de regeneração e renascimento. Vagamente baseado no romance “Ancient Evenings” (1983), de Norman Mailer, o filme tem como protagonista um egípcio idoso que tentou a reencarnação três vezes, na esperança de conseguir a imortalidade. River of Fundament empresta sua estrutura do texto de Mailer, correspondendo com os sete estágios pelos quais a alma egípcia tem que atravessar em sua viagem rumo a uma nova vida. Concebido como uma ópera não tradicional escrita em colaboração com Jonathan Bepler, o filme mistura imagem de três performances ao vivo realizadas em Los Angeles, Detroit e New York, com uma narrativa que se passa no interior de uma cuidadosa recriação do apartamento de Mailer, no Brooklyn. Com exibições já realizadas em mais de 35 lugares em todo o mundo, é a primeira vez que o filme é exibido no Brasil, com legendas em português e áudio- descrição.

Encerrando a programação, o coletivo Mamba Negra (São Paulo, SP), propõe um dia de happening na área externa do CCBB, expandindo o projeto para além da instituição, no dia 27 de agosto, e propondo conexões supra dimensionais com o feminino através de apresentações de Ava Rocha convidando Bella, Teto Preto, EXZ_, Cashu e Guillerrrmo em conexão direta com as performances visuais do Coletivo Namíbia, Loic Koitana, Alma Negrot e MIWI.

CCBB Música.Performance – Edição Especial
Vão |exposição individual de Berna Reale
Abertura: 15.07, 11h00
Conversa com artista e curador: 15.07, 13h00
Visitação: 15.07 a 28.08, 9h00 às 21h00 (fechado às terças)
Subsolo CCBB São Paulo
Classificação indicativa: livre

Amarelo Sintagma |ocupação cinético-sonora de Alejandro Ahmed e Grupo Cena 11
Apresentação: 15.07, 16h00 às 20h00
Hall CCBB São Paulo
Classificação indicativa: livre

River of Fundament | filme de Matthew Barney e Jonathan Bepler, produzido por Matthew Barney e Laurenz Foundation
Exibições: 21, 22 e 23.07, 14h30
Cinema CCBB São Paulo
Classificação indicativa: 18 anos
Mamba Negra em estado de(s)graça/ happening
Apresentações: 27.08, 16h00 – 22h00 (acesso ao prédio do CCBB até às 21h00)
Área externa CCBB São Paulo
Classificação indicativa: 12 anos
Entrada franca.