AGENDA DAS ARTES

Voltar

AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar

Artistas: Vários

Curadoria: Paulo Miyada

De 4/9 a 4/11

Instituto Tomie Ohtake Ver mapa

Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 201 - Pinheiros - São Paulo - SP CEP 01451-001

Telefone: (11) 2245-1900

O Instituto Tomie Ohtake apresenta, entre os dias 4 de setembro e 4 de novembro de 2018, a exposição "AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar". Com curadoria de Paulo Miyada, a mostra busca discutir os custos da retirada de direitos democráticos para o imaginário cultural do País, em resposta aos 50 anos do Ato Institucional No. 5, marco do agravamento do totalitarismo da ditadura civil-militar brasileira (1964-1985). A entrada é livre e gratuita.

A exposição que reflete sobre os efeitos do AI-5 nas artes visuais do país permanece em cartaz até 4 de novembro de 2018. Foto: Divulgação

A pesquisa tem como núcleo a produção de artes visuais do período, com obras, ideias e iniciativas que nasceram em tensão com a interdição da própria opinião política, que chegou a ser virtualmente criminalizada pelas práticas de censura e repressão. Em alguns casos, as obras reunidas foram proibidas, destruídas ou subsistiram ocultas; em outros, sua circulação foi seriamente contida e seus modos de expressão passaram por codificações e táticas de resistência.

Dividida em núcleos como censura, criminalização da opinião e reflexões sobre a crise institucional que se seguiu à abertura democrática, "AI-5 50 ANOS - Ainda não terminou de acabar" traz também uma série de textos e documentos históricos de contextualização - além de obras de artistas como Regina Silveira, Claudia AndujarBruno Dunley e de trabalhos comissionados de artistas mais jovens, que conheceram o período por meio da história, mas que continua a discutir as marcas deixadas pelo totalistarismo. Outros destaques da mostra são os textos de Hélio Oiticica e as obras de Cybele Varela e Carlos Vergara, as fotografias de Evandro Teixeira e o projeto não realizado de Carmela Gross; e também obras de Antonio Manuel, Artur Barrio e Cildo Meireles.

Queda do motociclista da Força Aérea do Brasil, 1965. Foto: Evandro Teixeira/Divulgação.

Serviço
Exposição: "AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar", exposição coletiva com curadoria de Paulo Miyada.
Datas e horários: De 4 de setembro a 4 de novembro de 2018. De terça a domingo, das 11h às 20h.
Local: Instituto Tomie Ohtake | Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 (Entrada pela Rua Coropés, 88) - Pinheiros, SP.
Entrada livre e gratuita.