AGENDA DAS ARTES

Voltar

A Última Ceia

Artistas: Luiz Bhittencourt

Curadoria: Jorge Brandão

De 24/3 a 6/5

Museu de Arte Sacra Ver mapa

Endereço: Avenida Tiradentes, 676 - Luz

Telefone: (11) 3326-3336

O Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS/SP) exibe, entre os dias 24 de março e 6 de maio de 2018, a mostra "A Última Ceia", do artista plástico brasileiro Luiz Bhittencourt, com curadoria de Jorge Brandão. Tomando como ponto de partida a última ceia de Jesus com seus apóstolos, antes de ser preso e crucificado, a mostra representa inúmeras facetas de personagens diversos e, por meio dos traços característicos do artista, traduz todo simbolismo metafísico envolvido nesta cena bíblica. Para tanto, são apresentadas 25 obras produzidas em técnicas que variam entre óleo sobre tela, acrílica sobre lona, e carvão, acrílica e óleo sobre MDF, além de uma peça interativa – sobre a qual o público poderá criar e pintar – e uma performance, em que uma tela será iniciada pelo artista na ocasião da vernissage, sendo finalizada ao longo do período expositivo. O museu - que tem ingresso gratuito aos sábados - apresenta simultaneamente outras duas exposições: "Deposizioni - Arqueologia do Desenho, de Pontormo a Caravaggio", de Cesare Pergola, e "Santo Sudário: Entre a Fé, a Arte e a Ciência". A entrada é livre para todas as idades.

Luiz Bhittencourt, Compartilhando Doações (Divulgação)

Entre os anos de 2006 e 2011, Luiz Bhittencourt se viu entre a produção artística e a tomada de um importante passo em sua vida pessoal. Neste período, ingressou na Ordem de São Bento e se dedicou à vida de monge beneditino, sem, no entanto, se abdicar da arte. "Conflitos no plano religioso e artístico levam o artista a afastar-se definitivamente da vida monástica em 2011. Antes, porém, produz a série Consagrados, (...), visando a explicitar a espiritualidade em suas obras", comenta Leon Kossovitch, crítico de arte e filósofo. Neste sentido, o trabalho do artista trata de uma busca intensa da fé, sempre mantendo como perspectiva a procura por Deus. Nas palavras de José Carlos Marçal de Barros, diretor executivo do MAS/SP: "São obras do final de uma fase de sua vida em que, ainda como postulante a ser ordenado monge no Mosteiro de São Bento, tentava definir seu melhor caminho para 'falar' de Deus, como religioso ou como artista plástico. Tendo vencido o caminho de artista, segue produzindo uma obra que obriga o visitante a encarar suas próprias duvidas".

No decorrer da história da humanidade, vemos que a arte, invariavelmente, exerce impacto sobre aquilo que associamos à espiritualidade, em diferentes ambientes, tempos e culturas. "Na obra de Luiz Bhittencourt, vemos como a arte é desta forma uma expressão da alma, e a alma fala de tudo aquilo que é humano. (...) Fala também sobre as mais basais das atividades que sustentam o homem, como sentar-se à mesa e dividir o pão. Este ato é intensamente familiar a nós, imortalizado de forma sacra na divina ocasião da Santa Ceia", comenta o psicólogo social Douglas Marthim de Oliveira. Assim, de forma única, o artista trata a humanidade divina contida na imagem da partilha do pão sem a intenção de retratar um momento histórico, mas sim de traduzir o simbolismo metafísico em obras de arte.

Luiz, Bhittencourt, Banquete para Todos (Divulgação)

"A Última Ceia" contempla tanto peças que foram emprestadas por colecionadores ao MAS/SP, como telas inéditas. De caráter essencialmente expressionista, o trabalho de Luiz Bhittencourt se apropria de formas cubistas e geométricas, dando origem a elementos figurativos e composições em traços fortes. Sobre isso, a curadora e produtora cultural Carmen E. Pousada conclui: "O uso excessivo das tintas com cores primárias e densas, muito bem colocadas, norteiam a sua criação dando indícios decorativos em sua arte. Em suas pinceladas, às vezes, dá a sensação de variáveis conceitos. Na essência da sua pintura, usa de uma simbologia que contrasta o sacro e o profano de uma maneira sutil e velada, jogando o sublime e o pecado num patamar de manifestações acima do divino".

Luiz Bhittencourt, Estudo (Divulgação)

Serviço
Exposição: “A Última Ceia”, de Luiz Bhittencourt com curadoria de Jorge Brandão.
Datas e horários: Abertura dia 24 de março de 2018, sábado, às 11h. Em cartaz até 6 de maio de 2018. De terça-feira a domingo, das 9h às 17h (bilheteria aberta até às 16h30).
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo | Av. Tiradentes, 676 – Luz, São Paulo (ao lado da estação Tiradentes do Metrô).
Ingresso: R$ 6,00 (estudantes e idosos pagam meia); grátis aos sábados.